Inédito: Benny Hinn reconhece que teologia da prosperidade é erro

O pastor Benny Hinn surpreendeu a todos em um vídeo publicado em seu Facebook esta semana. Ele admitiu, pela primeira vez, que pode ter ido “longe demais” com a chamada teologia da prosperidade, que prega bênçãos financeiras para aqueles que contribuem com os ministérios evangélicos, e proclama que cristão tem que ser rico mesmo.

Benny Hinn e seus polêmicos milagres.

Durante o vídeo, que reflete uma conversa dele com um amigo, Benny Hinn disse que essa teologia da prosperidade, que ele pregou durante toda sua vida, possui elementos que não são baseados na Bíblia Sagrada: “Nós somos atacados por pregar prosperidade. Bem, está na Bíblia, mas acho que alguns chegaram ao extremo com isso, e a palavra de Deus não ensina assim. Acho que eu sou tão culpado quanto os outros. […] Você sabe que isso não se encaixa totalmente com a Bíblia e com a realidade.”, afirmou.

Ele disse ainda que Jesus ou os discípulos não possuíam riquezas, e mesmo assim eram felizes. Ele classificou a ganância por obter coisas materiais como sendo um foco errado: “Será que Elias, o profeta, tinha um carro? Nem sequer tinha uma bicicleta. Ele não tinha falta alguma. Jesus dirigiu um carro ou vivia em uma mansão? Não. E os apóstolos?”, questionou Hinn, explicando sua interpretação sobre o que é sentir falta de algo. “Hoje, a ideia é abundância e casas palacianas, carros e contas bancárias. O foco está errado. Tão errado”, explicou.

O pastor já esteve envolvido em diversas polêmicas, desde brigas conjugais, investigações sobre desvio de dinheiro, e charlatanismo. Aqui no Brasil, por exemplo, a cantora Ana Paula Valadão do Diante do Trono rebateu abertamente Benny Hinn. Participando de um evento organizado por Agenor Duque, Ana Paula Valadão chamou a atenção dos fieis dizendo que eles não deveriam estar ali apenas para buscar uma “toalhinha de Benny Hinn”, mas para adorar a Deus. Agenor Duque, claro, não gostou da afronta, e disse posteriormente em seu programa de TV que o Diante do Trono não voltaria a cantar lá.

A teologia da prosperidade, que agora está sendo criticada pelo seu principal propulsor, no entanto, ainda é uma realidade no Brasil. Pastores como Silas Malafaia continuam com a visão de que este tipo de “bênção” tem amparo bíblico, e milhões de reais são arrecadados em campanhas religiosas criticadas por diversos outros líderes que possuem um entendimento diferente, de que não se deve barganhar com Deus.

Tadeu Ribeiro
[email protected]
Com informações do Guiame.