Bolsonaro diz que usava dinheiro do auxílio-moradia pra “comer gente”

O pré-candidato à Presidência da República Jair Bolsonaro (PSC-RJ), acabou se complicando durante entrevista para o jornal Folha de S. Paulo ontem (11). Ele foi abordado em Angra dos Reis, na frente de sua casa, sobre o motivo dele possuir casa em Brasília e mesmo assim receber auxílio-moradia da Câmara dos Deputados (cerca de R$: 3 mil por mês, descontado o Imposto de Renda). A matéria foi publicada na edição de hoje (12) do jornal.

Questionado sobre o que fazia com o dinheiro que recebia do auxílio, ele disse que servia para pagar atividades sexuais: “Como eu estava solteiro naquela época, esse dinheiro de auxílio moradia eu usava pra comer gente”, respondeu. Ele ainda disse que não há necessidade de parlamentares prestarem contas com relação a isso: “Você quer que eu preste continha: olha, recebi R$ 3 mil, gastei R$ 2 mil em hotel, vou devolver mil, tem cabimento isso?”, disse irritado. Sobre um vídeo que circula na internet em que o candidato diz em um programa de TV que sonegava “tudo que podia” e aconselhava os eleitores a fazerem o mesmo, Bolsonaro disse que estava “desabafando” e que foi apenas um modo de falar, “um deslize”.

O parlamentar travou uma luta contra o jornal Folha de São Paulo depois que a reportagem do veículo trouxe à tona a informação de que, tanto Jair quanto seus filhos políticos, multiplicaram seus patrimônios, mesmo não possuindo outro vínculo empregatício que não seja a política e os cofres públicos. Em 1988, o patrimônio dos três era de R$ 10 mil reais, hoje é de pelo menos R$: 15 milhões. Tanto Bolsonaro quanto seus filhos negam que hajam irregularidades.

Tadeu Ribeiro
[email protected]