Caixa Econômica se recusa a emprestar dinheiro para filme da história de Edir Macedo

A Record teria encontrado dificuldades para obter financiamento para a produção dos filmes que contarão a história de vida e empreendimento do bispo Edir Macedo. Uma primeira tentativa de custear o longa-metragem com dinheiro público terminou com resposta negativa.

De acordo com a jornalista Juliana Braga, colaboradora do colunista Lauro Jardim, no jornal O Globo, a direção da Caixa Econômica Federal (CEF) se recusou a repassar verba para cobrir os custos do filme. Os valores solicitados não foram revelados, mas é possível que a pedida tenha chegado à casa das dezenas de milhões de reais, já que o orçamento da produção está estimado entre R$ 10 e R$ 16 milhões para cada um dos filmes.

“Executivos da Record procuraram no final de agosto Moreira Franco em busca de recursos para o filme Nada a perder, que conta a vida do bispo Edir Macedo. Moreira encaminhou o pedido para a CEF avaliar. O banco analisou a proposta e disse “não” ao longa que a Igreja Universal quer que seja o recordista público da história do cinema nacional”, informou Braga.

Luz, câmera, ação
Os trabalhos de filmagens foram iniciados em maio deste ano, e somarão um total de 16 semanas no Brasil, com gravações complementares em locações nas cidades de Jerusalém, em Israel, e Joanesburgo, na África do Sul.

O orçamento dos filmes já pode ser considerado um dos mais altos do cinema brasileiro, já que as empresas Record Filmes e Paris Filmes investirão entre R$ 10 e R$ 16 milhões em cada um dos longa-metragens. O primeiro Nada a Perder terá sete mil figurantes escalados, de acordo com informações do jornalista Ricardo Feltrin.

Com números de superprodução, o filme que estreia no próximo ano tem roteiro Stephen P. Lindsey, conhecido profissional de Hollywood que assina o filme Sempre ao Seu Lado (2009), estrelado pelo ator Richard Gere. O ator Petrônio Gontijo interpreta o líder da Igreja Universal do Reino de Deus.

Netflix
Apesar do suposto contra-tempo com a negativa da Caixa para o financiamento, a Record TV e a Universal consideram certo o sucesso do longa-metragem que adapta às telonas as histórias contadas nos livros Nada a Perder, e têm expectativa de que o filme se transforme na maior bilheteria do cinema nacional em todos os tempos, superando Os Dez Mandamentos.

A venda dos direitos de exibição em sistema de streaming para a Netflix serve para reiterar essa expectativa. Em setembro deste ano, a empresa norte-americana comprou os direitos de exibição dos filmes Nada a Perder depois que saírem de cartaz nos cinemas para exibi-los em 190 países.

De acordo com informações do jornalista Flávio Ricco, do portal Uol, a negociação envolveu o maior valor já pago pela empresa por um filme com diálogos em idioma não-inglês.

(Gospel+)