Cientistas decifram novo trecho dos pergaminhos do mar morto

Os pergaminhos do Mar Morto são relíquias históricas, encontradas há 50 anos por um pastor que procurava por uma de suas ovelhas perdidas, na região onde fica a caverna de Qumran, próximo ao mar. São cerca de 900 fragmentos de textos da Bíblia Sagrada que remontam a 400 anos antes de Cristo aparecer. É a cópia mais antiga dos textos sagrados do Antigo Testamento já encontrada até hoje.

Os textos demoraram cerca de um ano para serem completamente reunidos, tendo em vista que alguns pedaços tinham aproximadamente 1 centímetro quadrado. O que se desprendeu até hoje nas pesquisas foi que, provavelmente, os textos foram escritos por uma seita chamada de “essênios”, que eram judeus dissidentes, ocupantes da área da caverna onde o material histórico foi descoberto em 1947.

Agora, uma parte dos textos que faltava ser decifrada teve seu conteúdo divulgado. Segundo os pesquisadores, ela trata principalmente sobre as festividades da seita que é apontada como responsável por escrevê-la. Eles utilizavam como base um calendário de 364 dias, e comemoravam, entre outras coisas, os festivais do “New Wheat” (Trigo Novo), “New Wine” (Vinho novo) e “New Oil” (Óleo novo), que, acredita-se, estão todos relacionados ao festival judaico Shavuot.

Outro dado interessante que os cientistas descobriram, foi que eles utilizavam a palavra “Tekufah” para se dirigirem às transições entre uma estação do ano e outra. Em tradução livre, ela significa “período”.

Tadeu Ribeiro
[email protected]