Empresa usa nome da cantora Bruna Karla para aplicar golpes em evangélicos

Evangélicos caem em golpe e levam prejuízo após evento falso. Pelo menos cinco pessoas compareceram na noite desta segunda-feira, 31, na Delegacia de Polícia de Brusque para registrar boletim de ocorrência por terem sido vítimas de estelionato, informou o site O Município, de Santa Catarina.

De acordo com o portal, elas compraram um falso pacote de três dias no Fazzenda Park Hotel, em Gaspar, com direito a dois shows das cantoras gospel Bruna Karla e Gisele Nascimento, em evento chamado Encontro Gospel.

Ainda segundo a informação, as vítimas foram à delegacia acompanhados do pastor Fábio Dias, 34 anos, que permitiu que a empresa Cardume Eventos e Promoções, representada por homens identificados como Jhonatan de Oliveira e Tiago, oferecesse aos fiéis um pacote de hospedagem de três dias no hotel fazenda com a promessa de que teriam “um fim de semana abençoado para você e sua família, em contato com a natureza”, como dizia o folder promocional.

O retiro espiritual estava previsto para acontecer nos dias 1, 2 e 3 de setembro deste ano. O valor variava de acordo com as acomodações escolhidas, de R$ 1,3 mil a mais de R$ 2 mil, podendo ser parcelado no cartão de crédito em até dez vezes.

Para surpresa de uma das vítimas, a primeira parcela, que tinha sido combinada de R$ 150, já chegou com mais de R$ 200, chamando a atenção de que a empresa não era confiável.

O pastor Dias afirma que a igreja tomou todas as precauções necessárias, checando o Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica (CNPJ), fotografando os dois vendedores no momento da visita e do veículo utilizado por eles, uma Evoque Dinamic, placas MKQ-8009, de Blumenau.

Após desconfiar que o preço do pacote era muito barato, o pastor decidiu visitar a sede da Cardume, na rua Sete de Setembro, Centro de Blumenau. Chegando lá ele foi informado que a empresa alugou uma sala por três meses, mas que teria ficado menos de 30 dias e já não funcionava mais naquele local, tendo inclusive demitido a funcionária que ficava no atendimento aos clientes.

No retorno, passou pelo hotel fazenda e, em conversa com o responsável pelas reservas, foi informado que de fato havia uma pré-reserva para aquele período, mas que o prazo para pagamento venceu e não foi honrado pela Cardume.

Ao registrar o boletim nesta segunda-feira, o pastor descobriu que já há registros contra a mesma empresa por situação semelhante em Balneário Camboriú e em outras cidades do Vale do Itajaí. Ele espera que tudo seja esclarecido e que os responsáveis sejam devidamente responsabilizados.

A reportagem tentou contato com os responsáveis pela empresa, mas não os localizou.

Vítimas devem ir à delegacia
Para o delegado Leandro Sales, que está se inteirando melhor do caso, esse crime é tipificado como estelionato e é importante que todas as vítimas registrem um boletim de ocorrência para que os culpados pelo golpe sejam responsabilizados e penalizados individualmente. O hotel fazenda e as cantoras citadas não têm ligação com o golpe.

Ele pede também que se outras pessoas forem abordadas, que acionem a Polícia Civil por meio do telefone 181 ou a Polícia Militar no 190.

(Gospel Geral)