Funkeiro evangélico arma barraco em blitz da lei seca: “Eu sou famoso e evangélico”

O cantor Tonzão, um dos ex-integrantes do grupo “Os Hawaianos”, abandonou a carreira musical após se tornar evangélico e se casar com uma ex-integrante do grupo “Gaiola das Popozudas”, de Valesca Popozuda.

Desde então, ele sumiu da mídia, e agora, virou notícia após ser parado quarta numa blitz da Lei Seca na Presidente Vargas, de acordo com o colunista Leo Dias. Segundo a publicação, ele fez um barraco monstruoso.

Diante disso, o cantor foi levado à 5ª DP, no Centro, e começou a esbravejar, dizendo ser famoso e evangélico. Em seguida, com medo de ser preso, ele rapidamente abaixou a bola, na presença do delegado Marcelo Carregosa.

Passinho do abençoado
Ao jornal O Globo, Tonzão disse em 2012 numa entrevista que “é possível louvar ao Senhor em todos os ritmos.”

Com Os Hawaianos, Tonzão cantava músicas cheias de apelo sexual, como “Cabecinha ou tudão”. Dessa fase, Everton Chagas levou apenas o apelido e o tamborzão, usado agora na evangelização dos seus fãs. O disco nasceu de uma brincadeira entre Tonzão e seus companheiros Adudianos (nome dado aos participantes da Assembleia de Deus dos Últimos Dias (ADUD). Sem saber que estavam sendo filmados por câmeras da igreja, o grupo começou a “louvar em ritmo de funk”, e foi flagrado pelo pastor.

– Pensei que ele fosse brigar com a gente, mas o pastor disse que, se a letra só cantava as maravilhas de Deus e os passos não eram sensuais, não tinha problema – explicou.

(TV Foco e O Globo)