Hillsong esclarece sobre casal gay no louvor da igreja

hillsong casal gay

Ontem (04) a imprensa internacional divulgou uma matéria afirmando que a igreja Hillsong, uma das maiores do mundo, havia nomeado um casal gay para reger seu coral. Trata-se de Josh Candfiel e Reed Kelly, que, segundo o Christian Today, haviam se assumido gays para a liderança da Hillsong, que os apoiou. A notícia foi destaque não só nos Estados Unidos, mas também aqui no Brasil.

Por conta disso, a Hillsong emitiu um comunicado oficial em seu site, assinado pelo seu presidente, Brian Houston, afirmando que, de fato, o casal gay cantava na igreja, mas que a liderança não tinha conhecimento de que eles eram homossexuais. A nota disse ainda que, após eles se assumirem gays, foram afastados de suas funções no coral, e atualmente não exercem liderança alguma na igreja.

Brian disse que a Hillsong acredita nos escritos do apóstolo Paulo à cerca da homossexualidade e do casamento gay, e que, embora o casal tenha sido afastado de suas funções ministeriais, são pessoas que merecem todo nosso amor e compaixão, pois estão em uma jornada aqui na terra, assim como todos nós.

Leia a nota oficial da Hillsong, por meio de seu pastor presidente Brian Houston, sobre o caso:

“Desejo corrigir relatos de que a Igreja Hillsong tem “um casal gay dirigindo seu coral” em nosso campus de New York City. A posição da Hillsong sobre a homossexualidade e o casamento gay não mudou e é consistente com as Escrituras. Como já afirmei anteriormente, eu acredito que os escritos de Paulo são claros sobre este assunto. Vários meses atrás, quando um de nossos diretores do coro fez uma declaração pública inesperada sobre seu noivado com um homem que, por vezes, cantava no coral também, foi uma completa surpresa para nós. É meu entendimento que eles não tenham se envolvido em uma liderança ou ministério ativo desde então. Dito isso, nós ainda devemos amá-los e reconhecer que eles – como todos nós – estão em uma viagem, e nosso papel como igreja é ajudá-los nesta jornada com graça e compaixão.”

Tadeu Ribeiro
[email protected]