Justiça proíbe Google de associar Templo de Salomão com “anticristo”

O Google vem dando dor de cabeça à Igreja Universal desde 2016. É que o aplicativo Google Maps, maior localizador e instrutor de rotas via satélite do mundo, associava a localização do Templo de Salomão, sede da Igreja Universal do Reino de Deus, como sendo “o anticristo”, ou ainda “a sinagoga de Satanás”. Pelo menos até agora. As informações são do Consultor Jurídico. 

Google associava Templo de Salomão da Universal com o lar do anticristo.

É que a justiça determinou que a empresa de tecnologia desenvolvesse uma espécie de “filtro” que impede a ligação do templo religioso com a figura do Diabo e demais personagens do mal para os cristãos. A ação foi impetrada pela Igreja Universal e julgada pela 9ª Câmara de Direito Privado de São Paulo. O relator do caso entendeu que a culpa não seria do Google, mas sim dos usuários que fazem essa associação de forma autônoma. Mas ele foi voto vencido pelos demais colegas, que entenderam que, se o gigante das buscas consegue criar algorítimos e técnicas inteligentes para garantir os melhores resultados aos seus usuários, teria capacidade suficiente para impedir que os mesmos façam a ligação entre o templo e a figura do anticristo.

O desembargador Alexandre Lazzarini disse que o erro cometido pelo Google, direta ou indiretamente através de seus usuários, configurava um ato ilícito, e por isso a empresa de tecnologia poderia ser penalizada: “Com isso, a falsa informação contida em um produto da ré passa a ser um ato ilícito, possibilitando o sancionamento da fornecedora do produto ou serviços”, disse. Cabe recurso ao STJ (Superior Tribunal de Justiça), mas o Google não informou se iria recorrer. O Portal do Trono verificou hoje (25) se o Maps já havia sido atualizado, e constatou que a decisão judicial já está sendo cumprida, pois as buscas por “anticristo” e “sinagoga de satanás” não retornaram resultados.

O Templo de Salomão foi um dos maiores investimentos já feitos pela Igreja Universal do Reino de Deus, e é um dos maiores templos religiosos do mundo. Sua construção contou com pedras trazidas de Israel, além de oliveiras originais da terra santa, e é apontado por Edir Macedo como sendo “a sede mundial da Igreja Universal”, que possui filiais em diversos países.

Tadeu Ribeiro
[email protected]