Membros de igreja evangélica se vestem de drag queen para incluir fieis discriminados

Na tentativa de mostrarem amor pelo próximo e buscar o diálogo com quem comumente é discriminado nos cultos, algumas igrejas promovem eventos que acabam gerando polêmica, como as raves ou campeonatos de MMA dentro dos templos.

Contudo, a Igreja de Cristo da cidade de Aimes, Iowa (EUA), está recebendo uma chuva de comentários contrários e outros de elogio por ter feito algo nunca antes visto. A blogueira conservadora cristã Elizabeth Johnston, mais conhecida como Mamãe Ativista, trouxe à público que às vésperas do Halloween essa igreja decidiu promover um evento chamado “Drag-o-ween”.

Como o nome sugere, a ideia é que todos os jovens se vestissem como se fossem do sexo oposto, no melhor estilo drag. A ideia, aparentemente, seria atrair para a igreja os jovens da comunidade LGBT da cidade.

“Há muitas coisas acontecendo aqui, e todas elas estão erradas”, escreveu a blogueira Johnston dias antes do evento. “O site da igreja mostra que eles estão abertos e apoiam a comunidade LGBT desde 2000, e claramente parecem que seus jovens se juntem a este estilo de vida”, disparou.

O Drag-o-ween teve ainda a eleição do rei e da rainha drag da noite.

A pastora Eileen, que lidera a congregação, usou as redes sociais para reclamar do que chamou de cyberbulling, e decidiu chamar a polícia para oferecer segurança na porta do templo durante a festa, afirmando temer represálias. Também não permitiu que fossem divulgadas fotos do Drag-o-ween.

(Gospel Prime)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *