Milagre: Bebê morto ressuscita após mãe procurar igreja: “Pararam o culto para orar”

Os pais do pequeno Jorginho passaram por uma verdadeira prova de fogo. No ano passado a criança, que tem apenas 1 ano, acabou caindo na piscina de casa acidentalmente, onde se afogou. Um casal que passava na rua ajudou os pais do bebê e levaram-no a um hospital da cidade. Chegando lá, os médicos constataram que ele estava morto. Mas Mycaelle, mãe dele, não se deu por satisfeita. Pegou a roupinha que ele estava usando e correu com um amigo até uma igreja evangélica que ela ia de vez em quando. Chegando lá, estava fechada. Mas o percurso seguiu até que encontraram uma que estava aberta. Ao chegar ela pediu que orassem pela cura do garoto: “Meu filho está morto!”, disse aos prantos.

Em seu relato no Facebook, Mycaelle conta que um corrente de oração começou a se movimentar a favor da recuperação de seu bebê: “Pararam o culto e começaram a interceder pela vida do meu filho. Me ajoelhei e pedi a Deus misericórdia que trouxesse meu filho de volta e sem sequelas. Refiz minha aliança com Deus, pois reconheci que sem Ele não somos nada. Saindo da igreja, encontrei com o pastor da igreja que eu estava frequentando, ele me abraçou e fez uma oração comigo”, lembra.

A oração deu certo. Os médicos conseguiram milagrosamente reanimar Jorginho, mas não tinham perspectivas de que ele acordasse, estaria para sempre num estado vegetativo. Mas não se dependesse da força e fé de seus pais. E por isso, 80 dias depois ele saiu do coma. Mais um milagre. Atualmente, está se tratando em casa e já faz sessões de fisioterapia respiratória e neurológica, “reagindo muito bem”, como contou sua mãe. A história está ganhando a internet, e uma página no Facebook (“Força e fé Jorginho”) foi criada para arrecadar fundos para custear o tratamento.

A cura, conta a mãe, não foi só física: “Mesmo com todo esse sofrimento, Deus está modificando a nossa família, trabalhou na união e no companheirismo, nossa família tem sido outra. Deus muda, se não for pelo amor, é pela dor”, afirmou. Força e fé, Jorginho! As informações são do portal Guiame.

Tadeu Ribeiro
[email protected]