Opinião: Ana Paula Valadão foi o Thalles de 2016 no mundo gospel

Neste ano de 2016, sem dúvidas, o nome cristão em maior evidência foi Ana Paula Valadão. A líder do Diante do Trono usou e abusou de sua liberdade de expressão para dizer tudo que pensa, e que há muito tempo era uma incógnita para todos que a seguiam. O posto ocupado pelo cantor Thalles Roberto em 2015, foi transferido para a Valadão.

Ela já entrou o ano ousando e fazendo um favor à toda igreja brasileira, quando confrontou os pedidos de ofertas em troca de bênçãos feitos pelo “apóstolo” Agenor Duque, durante o 8º Congresso Fogo Para o Brasil realizado em sua igreja: “Talvez você chegou aqui achando que quem ia te curar era o apóstolo, que quem ia te curar era o Benny Hinn, ou o valor da sua oferta que você está levando, mas Jesus está dizendo: Sou eu que curo você!”, disse ela na ocasião. O “apóstolo”, claro, não gostou nadinha, e usou seu programa de TV para relembrar quando Ana Paula rugiu como um leão durante um show do Diante do Trono.



No entanto foi dos internautas que Ana Paula recebeu suas mais duras críticas durante este ano. Tudo começou com o lançamento por ela de uma campanha no Facebook. Vestida de cozinheira, Ana Paula publicou a hashtag “Bela, recatada e do lar”, que até hoje é utilizada de forma irônica por seus seguidores. A cantora quis mostrar que a mulher deve ser submissa ao marido, e se dedicar aos afazeres do lar, provocando a ira de diversas mulheres, incluindo várias evangélicas e até apresentadoras de TV, como Astrid Fontenelle.

Só que não parou por aí. Ana Paula publicou em sua conta no Facebook um desabafo, ou “santa indignação”, sobre uma campanha lançada pelas lojas de departamento C&A, que visava uma linha de roupas sem gênero, podendo ser usadas tanto por homens quanto por mulheres: “Que absurdo! Nós que conhecemos a Verdade imutável da Palavra de Deus não podemos ficar calados. Temos que #boicotar essa loja e mostrar nosso repúdio”, dizia a publicação. Nas hastags da mensagem, Ana Paula ainda diz que “unissex não existe”, “família é entre homem e mulher” e que “monogamia heterossexual é sexo seguro”. O assunto em poucos minutos era o mais comentado do mundo no Twitter. A C&A chegou a responder indiretamente Ana Paula através de uma nota oficial: “A C&A reforça que o respeito à diversidade, inclusive de opiniões, sempre foi um dos princípios da marca.”

Por fim, Ana Paula foi alvo de uma nova polêmica ao postar a foto de sua avó Theonila em um caixão. Ela faleceu dia 22 de junho. Além da foto, uma prima de Ana Paula, Fernada Girundi, respondeu a foto com um comentário bastante duro: “Várias pessoas que estiveram lá no momento do velório ficaram chocados com o celular que não saia da mão para registrar os momentos que eram apenas nosso”. A cantora não respondeu a prima, e por conta dos muitos comentários negativos, Ana Paula Valadão resolveu dar um tempo em suas redes sociais, que passaram a ser administradas pela assessoria do Diante do Trono. Entretanto, ela já está atualmente controlando suas publicações novamente, só que agora sem grandes polêmicas ou comentários quentes.

Ana Paula Valadão é líder do maior ministério cristão que o Brasil já teve até hoje. É uma compositora de mão cheia, tem um talento ímpar, e uma legião de seguidores, mas não soube administrar seu alcance nas redes sociais. A internet não perdoou e fez com que a cantora se contivesse e mudasse sua forma de se comunicar. Sem dúvidas, 2016 foi o ano em que Ana Paula Valadão provou da máxima “para ganhar inimigos, basta dizer o que pensa”.

Tadeu Ribeiro
[email protected]



Comente!

Leave a comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Tadeu Ribeiro

Tadeu Ribeiro é editor-chefe e fundador do Portal do Trono. Atualmente é estudante de Direito na Universidade Federal de Campina Grande. Apaixonado por Deus, pela música e pela informação. Um chamado que está sendo atendido, e edificado milhões de vidas no Brasil e no mundo.