Pastor Marco Feliciano contra-ataca TV Globo em campanha

A TV Globo lançou uma campanha nacional para as eleições deste ano. Intitulada de “O Brasil que eu quero para futuro”, a emissora espera reproduzir em todos os seus telejornais, desde o “Hora 1” até o “Jornal da Globo”, vinhetas curtas de até 15 segundos, mostrando brasileiros nos mais de 5 mil municípios do país, respondendo à pergunta chave da campanha. As inserções começarão em março e seguirão até outubro. Todos os municípios do país serão exibidos. Mas algumas pessoas, como o Pr. Marco Feliciano, são contrários à iniciativa.

O pastor-deputado (PSC-RJ) utilizou suas mídias sociais para criticar a proposta da emissora carioca, e dizer que o que ela está propondo é um culto à vaidade, pois em seus vídeos de tutoriais sobre como participar, os jornalistas da Globo pedem que as pessoas escolham um cartão postal da cidade para gravarem à frente, dizendo o que esperam do Brasil nos próximos anos. Por conta disso, Feliciano lançou uma campanha oposta, pedindo que as pessoas gravem em lugares onde o poder público tem falhado, com a hashtag oposta: “O Brasil que eu não quero”.

O pastor deu ainda algumas dicas que podem servir de exemplo para os que quiserem participar: “[mostrem] as imagens dos hospitais falindo, suas filas e todas as mazelas que não deveriam existir, inclusive a de desempregados; mostrem o sucateamento da nossa polícia, da sua frota, dos seus equipamentos e armamentos […]”. Não ficou claro, no entanto, o que o pastor, que é deputado federal do Rio de Janeiro, tem feito em sua atuação no Congresso para mudar a situação crítica que o país enfrenta. Ele, inclusive, votou a favor de barrar as duas investigações contra Michel Temer ano passado na Câmara. O discurso parece meio contraditório.

Feliciano é um crítico ferrenho da TV Globo. Ele acusa a emissora de perseguir os cristãos, por promover campanhas contra a intolerância religiosa, a homofobia e outras demandas sociais de minorias. Alguns apontam, no entanto, que o ranço do pastor com a emissora se deve ao fato dela nunca ter dado muito espaço para ele em sua programação, como por exemplo faz com Silas Malafaia, que já participou de diversos programas da emissora apresentando suas visões sobre assuntos polêmicos.

Tadeu Ribeiro
[email protected]