Pastor que tentava “curar” gays há 18 anos sai do armário e apresenta namorado

Sérgio Viula, professor, de 47 anos, revelou para a revista “Sou Mais Eu”, do portal UOL, que durante 18 anos atuou como Pastor de uma igreja evangélica e neste período ele tentou sem sucesso “curar” gays. Na verdade o que ele tentava era reprimir seus desejos homossexuais. Em seu depoimento, Sérgio afirmou que não existe ex-gays e que é mais fácil uma “vaca voar” do que um homossexual ser curado.

O ex-pastor contou que fez de tudo para anular seus desejos, ele conta que acreditava que a igreja seria seu refúgio e que através da sua fé e dedicação as palavras sagradas conseguiria se manter longe de outros homens. Contudo os desejos sempre assombravam sua vida.

Sérgio contou que nasceu em uma família católica conservadora, mas que desde de criança sabia que era gay, contudo vivendo no seio de uma família preconceituosa, ele nunca teve liberdade para conversar sobre sexualidade. Ele relata que teve uma educação machista e homofóbica tanto em casa como na escola e igreja.

O professor disse que sua primeira experiência sexual com outro garoto foi aos 12 anos de idade. Aos 16 ele abandonou o catolicismo e conheceu a igreja evangélica quando era office-boy de uma empresa onde trabalhava.

Nesta época ele se viu encantado com a empolgação dos evangélicos com a palavra de Deus e então conseguiu durante dois anos suprimir seus desejos sexuais. Ele não revelou a ninguém na igreja sobre sua homossexualidade e passou a fazer parte do “Moses” (Movimento da Sexualidade Sadia), onde os gays procuram a conversão e/ou cura.

Sérgio disse que estava se sentindo seguro até que conheceu um rapaz na igreja e eles acabaram saindo juntos. Nesta época ele acabou se desesperando e chegou a conclusão que o melhor era se casar e formar uma família tradicional. Sérgio se casou antes dos 20 anos, com uma jovem da igreja.

Aos 22 entrou para o seminário com a intenção de se tornar pastor da igreja Batista. O ex-pastor continuou trabalhando no “Moses”, onde continuava a vivenciar a farsa da “cura” gay. Durante todo esse tempo ele continuava dando suas escapadas e chegou a conclusão que não poderia mais continuar vivendo uma grande ilusão.

Depois de 14 anos de casamento, com dois filhos, em 2004, Sérgio resolveu assumir sua homossexualidade, ele confessa que não foi fácil, sua ex-esposa nunca o aceitou assim, já seus filhos e sogro o apoiaram.

O professor contou que esteve casado por sete anos com um homem, que foi muito feliz e que o relacionamento terminou de maneira amigável. De acordo com Sérgio não foi fácil superar a separação, porém no carnaval de 2016 ele viajou para Belo Horizonte onde conheceu André, o grande amor de sua vida e eles estão vivendo felizes no Rio de Janeiro.

(UOL)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *