Profecia apontava morte de Eduardo Campos

eduardo

Desde quando o presidenciável Eduardo Campos (PSB) morreu de forma trágica na manhã da última quarta-feira (06), surgiram ideias de conspirações sobre o episódio ser um atentado ou não, premeditado ou não, profeciado ou não.

E o comentário que mais está rendendo é o de que a morte do candidato à presidência da república foi anunciada em um culto que o mesmo participou no templo da central da Assembléia de Deus no estado do Pernambuco. Segundo a publicação que circula na internet, Eduardo era evangélico, assim como seu pai, Maximiano Accyoli Campos, e chegou inclusive a presidir uma equipe de jovens da igreja pelo período de 4 meses.

Umas das mulheres que cantavam chegou a dar a seguinte profecia a Eduardo: “Grande será o cortejo para ti, homem de honra. A tua vida está em minhas mãos, e na esteira do tempo, determinarei os teus dias”. Ainda segundo a publicação, Eduardo não ficou com uma cara feliz após a profecia ter sido entregue, abaixando a cabeça durante vários momentos ao lado de seu assessor que o acompanhava. Todos presentes deduziram que a profecia tratava de sua vitória na corrida presidencial das eleições desse ano, já que o falecimento do líder político nem cogitava passar pela cabeça de qualquer brasileiro.

A tragédia

O candidato à presidência pelo PSB Eduardo Campos, morreu na manhã da última quarta-feira, vítima de uma tragédia aérea na cidade de Santos, no litoral paulista. Campos viajava do Aeroporto Santos Dumont (RJ) em direção ao aeroporto de Santos (SP) para seguir destino ao Guarujá (SP), onde teria um compromisso eleitoral. O piloto da aeronave, que também morreu, tentou aterrissar, mas, por não conseguir devido ao mau tempo, arremeteu o avião particular e fez um novo procedimento de aproximação, que acabou falhando. O jato caiu em uma área nobre de Santos, em cima de uma academia de ginástica, no Boqueirão.  Além do ex-governador do Pernambuco, morreram mais 6 pessoas, dentre elas o fotógrafo Alexandre da Silva, Carlos Augusto Leal Filho (Percol) que era assessor de Campos, os pilotos Geraldo da Cunha e Marcos Martins, além de Pedro Valadares Neto e Marcelo Lira.

Eduardo Campos vinha apresentando números estáveis na corrida presidencial, oscilando entre 8 e 10% das intenções de votos nas pesquisas IBOPE e Datafolha. Ele deixou a mulher, Renata, 1 filha e 4 filhos, dentre eles Miguel, o mais novo, de apenas 6 meses, que possui Síndrome de Down.

Tadeu Ribeiro
[email protected]