Você ama o seu filho?

shutterstock_9243790

Você ama seu filho? Esta parece uma pergunta totalmente desapropriada e sem sentido. A resposta é óbvia: claro que eu amo meu filho (a), afinal eu sou mãe (ou pai)! Então deixe- me perguntar de outra forma: seu filho sabe que você o ama?: “Hum, eu acho que sim, imagino que sim!”

O amor dos pais é fundamental na vida dos filhos, mas este amor não deve ser apenas um conceito distante. Deve ser um amor presente e constante, demonstrando nas atitudes diárias.

A Bíblia nos diz em 1 João 3:18: “Meus filhinhos, o nosso amor não deve ser somente de palavras e de conversa. Deve ser um amor verdadeiro, que se mostra por meio de ações (NTLH).”

Quais seriam então nossas ações de amor para com nossos filhos?

Respeito: Existe um famoso ditado popular que diz “respeito é bom e todo mundo gosta”, e isso inclui as crianças. Claro que nossos filhos devem nos respeitar, pois somos autoridades instituídas sobre a vida deles. Por outro lado, não devemos abusar desta autoridade e tratar nossos filhos com desrespeito. O respeito vem do reconhecimento de que eles são vidas preciosas, que merecem atenção e cuidado. Por respeito, podemos incluir: Sermos justos; evitar nos dirigir a eles com palavras que os machuquem, ou apelidos de mau gosto, diminuí-los, tirar sarro ou humilhá-los; devemos cumprir nossa palavra quando prometemos ou dizemos algo; reconhecer as suas limitações; ter consideração pelos seus sentimentos, entre outras coisas. A Bíblia orienta aos pais que estes não devem provocar a ira dos seus filhos (Efésios 6:4), mas sim educá-los no conselho de Deus.

Tempo: Como você se sentiria se alguém dissesse que te ama mas sempre estivesse muito ocupado pra conversar com você? O tempo é o nosso recurso mais preciso, pois nunca volta. Obviamente, os dias são corridos para mães e pais. As obrigações e responsabilidades são muitas, mas devemos nos lembrar que a infância dos nossos filhos dura poucos anos, e este tempo não voltará. Se analisarmos bem nossas prioridades e focarmos no que realmente tem valor, certamente conseguiremos administrar nosso tempo com sabedoria e assim dar a atenção que nossos filhos precisam.

Afeição: Não tenha medo de demonstrar carinho ao seu filho, isto não fará que ele perca o respeito por você. Abrace, faça cocégas, diga que ama, use palavras de afirmação. Brinque com seus filhos, ajude no dever de casa, ouça o que ele tem a lhe dizer. Se não tivermos um laço de amizade com nossos filhos durante a infância, será mais difícil criar esta confiança durante a adolescencia.

Disciplina: a Palavra nos diz em Hebreus 12:6 que Deus corrige o filho que ama; da mesma forma, nós devemos disciplinar nossos filhos, mas sempre com amor. A disciplina deve mostrar a criança que certa atitude dela não é apropriada e pode trazer consequências negativas. Por outro lado, devemos sempre deixar claro que apesar de não permitirmos certos comportamentos deles, continuamos os amando e aceitando.

Deus colocou dentro de cada criança um grande potencial, dons e talentos. Nossos filhos foram criados com um propósito, um chamado, uma missão a cumprir. O nosso amor, refletido em nossas ações, é a água que vai regar e nutrir estas sementes para que elas possam crescer e se desenvolver!

Tathiana Schulze
[email protected]