Conecte-se conosco

Mais Conteúdo

Adolescentes mortos após cabeça d’água em cachoeira eram voluntários de igreja: ‘Fazíamos entrega de marmitas’, diz pastor

Publicado

em

Letícia Silva, de 15 anos, Kauane Duarte, 16 anos, Pedro Henrique, de 17 anos — Foto: Reprodução

No último domingo (17/03), uma tragédia abalou a cidade de Paranavaí, no noroeste do Paraná, quando três adolescentes, conhecidos por seu engajamento em ações sociais, perderam a vida em decorrência de uma cabeça d’água em uma cachoeira local.

Letícia Silva, de 15 anos, Kauane Duarte, de 16 anos, e Pedro Henrique, de 17 anos, frequentavam a mesma igreja e dedicavam seu tempo a atividades voluntárias, como a distribuição de marmitas para pessoas em situação de rua e pacientes da Unidade de Pronto Atendimento (UPA).

O pastor da Igreja De Nosso Senhor Jesus Cristo, Rodrigo Ferreira dos Santos, que acompanhava os jovens em suas atividades religiosas e sociais, expressou sua consternação pela perda desses jovens comprometidos. “Eles eram nossas motivações, nos faziam ter força, faziam a obra. Nos apoiavam a todo momento”, disse o pastor.

Rodrigo Ferreira dos Santos, pastor da igreja – Foto: Reprodução/RPC

Além disso, ele mencionou: “Nós temos uma ação social na igreja e trabalhamos com pessoas em situação de rua e também fazíamos entrega de marmitas na UPA, e eles estavam preparados para tudo.”

Os adolescentes, juntamente com dois adultos, estavam se refrescando na cachoeira e fazendo registros fotográficos para um evento da igreja momentos antes da tragédia ocorrer. A pastora Elisângela de Oliveira, que acompanhava os jovens na unidade, descreveu cada um deles, destacando suas personalidades e envolvimento com a comunidade.

“O Pedro era a alegria dessa igreja, a Kauane era doçura em pessoa, um sorriso largo que conquistou todo mundo, a Letícia era a força, muito explosiva, que era a mais recém-chegada, a ovelhinha mais nova deles. Era muito amada”, descreveu a pastora.

Os corpos de Letícia Silva, Pedro Henrique e Kauane Duarte foram sepultados em Paranavaí. No entanto, Maria Gessé, mãe de Kauane, permaneceu desaparecida até a tarde de terça-feira (19), quando foi encontrada a cinco quilômetros do local do incidente por dois pescadores.

Maria Gessé, mãe de Kauane, continua desaparecida.

Os jovens estudavam em escolas públicas locais. Letícia estava no 2° ano do ensino médio, e Kauane no 3° ano, ambas no Colégio Estadual Silvio Vidal. Pedro Henrique cursava o 3º ano do ensino médio no Colégio Estadual Leonel Franca. As duas instituições lamentaram a morte dos jovens nas redes sociais.

Pedro Henrique também teve passagem pelo time de base do Atlético Clube Paranavaí, onde atuou como atacante em 2023 e deixou o clube em julho do mesmo ano, conforme a assessoria.

🔔 SIGA O PORTAL DO TRONO NO WHATSAPP. CLIQUE AQUI PARA RECEBER NOTÍCIAS DIRETO NO SEU CELULAR.

+ Acessadas da Semana

Você não pode copiar o conteúdo desta página