Conecte-se conosco

Mais Conteúdo

Balenciaga gera revolta por campanha com apologia a abuso infantil

Publicado

em

Nas imagens, crianças seguram bichinhos de pelúcia vestidos com roupas usadas em práticas sadomasoquistas - Imagem: Balenciaga

A grife espanhola Balenciaga é um dos assuntos mais comentados nas redes sociais por uma série de fotos que mostrava crianças modelos posando com bolsas da marca em formato de ursinhos de pelúcia com roupas usadas em práticas sadomasoquistas.

A polêmica ficou ainda maior quando um usuário do Twitter encontrou em uma das fotos da campanha um trecho de uma ação judicial na Suprema Corte dos EUA de 2008, no caso United States v. Williams, que tratava da venda de material de pornografia infantil.

A campanha traz crianças abraçadas a ursinhos de pelúcia com apetrechos associados ao universo BDSM (prática sexual que envolve bondage, disciplina, d0minação e submissão, sadismo e masoquismo) e semblante machucado.

A Balenciaga é considerada uma das marcas mais valiosas na moda e seus produtos de luxo são queridinhos de celebridades e influenciadores.

Ela começou a postar as imagens em suas redes sociais em 16 de novembro e começaram a se tornar virais, especialmente nos Estados Unidos, entre os usuários que se opõem ao que consideraram ser uma sexualização de crianças.

Depois disso, alguns canais de televisão de direita dos EUA publicaram a história e acusaram a grife de “endossar a pornografia infantil”.

Publicidade

PEDIDO DE DESCULPA

A Balenciaga postou um pedido de desculpas no Instagram e disse que suas bolsas de pelúcia “não deveriam ter sido fotografadas com crianças”.

A marca disse que removeu os itens de venda e excluiu as imagens de todas as plataformas da web. Ela também se desculpou por exibir “documentos perturbadores” na campanha de colaboração da Adidas.

Publicidade

“Pedimos sinceras desculpas por qualquer ofensa que nossa campanha de férias possa ter causado. Nossas pelúcias não deveriam ter sido apresentadas com crianças nesta campanha. Removemos imediatamente a campanha de todas as plataformas”, diz trecho da nota.

“Levamos este assunto muito a sério e estamos tomando medidas legais contra as partes responsáveis por criar o conjunto e incluir itens não aprovados para nossa sessão de fotos da campanha Spring 23. Condenamos veementemente o abuso de crianças de qualquer forma. Defendemos a segurança e o bem-estar das crianças”, completa a nota.

Publicidade

+ Acessadas da Semana