Conecte-se conosco

Mais Conteúdo

Colapso de mina da Braskem em Maceió pode acontecer a qualquer momento, alerta Defesa Civil

Publicado

em

Vista aérea do Bebedouro, um dos bairros atingidos pelo desastre ambiental em área da Braskem em Maceió - Foto: Jonathan Lins

Colapso de mina da Braskem em Maceió pode acontecer a qualquer momento, alerta Defesa Civil

A situação das minas da Braskem em Maceió atingiu um ponto crítico, levando à evacuação de residências e até mesmo de um hospital. A Defesa Civil emitiu um alerta sobre o “risco iminente” de afundamento do solo no bairro de Mutange, resultante da mineração que começou na década de 1970.

Segundo o Governo de Alagoas, cinco abalos sísmicos foram registrados na região somente neste mês de novembro. O desabamento da mina pode ocasionar a formação de grandes crateras na região, além de provocar um efeito cascata em outras minas.

O problema veio à tona em 2018, quando rachaduras significativas apareceram no bairro do Pinheiro após um tremor de magnitude 2,5. Somente um ano depois, o Serviço Geológico do Brasil confirmou a relação entre a mineração e a instabilidade no solo.

As consequências foram graves, com mais de 14 mil imóveis evacuados desde junho de 2019, afetando cerca de 55 mil pessoas e transformando áreas antes habitadas em bairros fantasmas.

Apesar dos esforços da Braskem para fechar e estabilizar 35 minas na região, novos tremores de terra em novembro levaram a Defesa Civil de Maceió a alertar para o “risco de colapso em uma das minas,” especialmente a de número 18, próxima à lagoa Mundaú.

O professor Abel Galindo, engenheiro civil da UFAL, expressou preocupação, afirmando que o desabamento da mina 18 poderia afetar duas minas vizinhas, formando uma cratera de grandes proporções.

A possível formação de uma cratera seria devastadora para a região, levando água salgada da lagoa Mundaú para dentro, impactando toda a área de mangue de maneira “bastante trágica,” conforme alertado pela Defesa Civil.

Diante da gravidade da situação, o Serviço Geológico do Brasil enviou uma equipe para avaliação, enquanto a Justiça Federal ordenou a retirada de mais de 20 famílias em áreas de risco no bairro do Bom Parto. Embora não haja ordem de evacuação no Pinheiro, um hospital transferiu todos os pacientes para outras unidades de saúde.

 

+ Acessadas da Semana

Você não pode copiar o conteúdo desta página