Conecte-se conosco

Mais Conteúdo

Glória Maria deixa duas filhas adolescentes

Publicado

em

Glória e as filhas Maria e Laura - Foto: Divulgação

A apresentadora Glória Maria, que faleceu nesta quinta-feira (02/02), tinha 73 anos e deixa duas filhas adolescentes. Um dos nomes mais queridos e admirados da Televisão Brasileira era mãe de Maria, de 15 anos, e Laura, de 14.

“É com muita tristeza que anunciamos a morte de nossa colega, a jornalista Glória Maria”, informou a TV Globo, em nota. “Em 2019, Glória foi diagnosticada com um câncer de pulmão, tratado com sucesso com imunoterapia. Sofreu metástase no cérebro, tratada em cirurgia, também com êxito inicialmente”, prossegue o texto.

“Em meados do ano passado, Glória Maria começou uma nova fase do tratamento para combater novas metástases cerebrais que, infelizmente, deixou de fazer efeito nos últimos dias, e Glória morreu esta manhã, no Hospital Copa Star, na Zona Sul do Rio”.

AS FILHAS DE GLÓRIA MARIA

Maria e Laura foram adotadas em 2009, após uma viagem de Glória à Bahia. Durante um trabalho voluntário em um orfanato de Salvador, a carioca se encantou com Maria. Depois de conhecê-la, se apaixonou por Laura, sem saber que as duas eram irmãs biológicas. Foi então que decidiu adotar a dupla.

Segundo o jornal O Globo, o processo de adoção durou 11 meses, e levou Glória Maria a se mudar de estado para ficar mais próxima das crianças enquanto a documentação tramitava na Justiça.

Em várias entrevistas ao longo da carreira, a jornalista contou que não tinha desejo de ser mãe, porque preferia se dedicar ao trabalho. Em entrevista ao GLOBO, em 2018, a ex-apresentadora do ‘Globo Repórter’ comentou que, antes da chegada de Maria e Laura, maternidade era sinônimo de jornalismo para ela.

“Minhas filhas não têm pai, eu decidi tê-las sozinha. Sou eu e ponto. Preciso estar bem para vê-las no balé, nos eventos da escola. O dia em que não puder estar, que morrer, elas terão tudo encaminhado. Vão estudar nos melhores lugares, têm padrinhos maravilhosos. Tá tudo certo. Tem gente que opta pelo vitimismo. Eu odeio drama, não sou coitadinha. Vim sem esse sentimento. Nasci numa família extremamente pobre e matriarcal. Cheia de mulheres fortes. Minha avó Alzira, que morreu com 104 anos, tinha uma porrada de filhos, mandava em todo mundo.”

“Eu tenho horror. Porque elas não são mais minhas filhas adotivas. Na certidão de nascimento, assim como tem escrito na dos filhos biológicos, não se lê “filha adotiva”. Recuso milhões de convites para fazer campanhas sobre adoção. Porque acho que isso é uma coisa de cada pessoa. O que que eu vou dizer para você? “Adota, que é maravilhoso”? E se não for maravilhoso para você, da maneira como foi para mim? A minha contribuição para o tema é o meu exemplo, e eu não quero ficar bancando a boazinha, porque adotar não faz de ninguém uma pessoa boazinha. É uma relação de amor e pronto. E você não tem que ficar dando satisfação para ninguém a respeito do amor”

“Eu nunca quis ser mãe. O trabalho me preenchia, minha vida era perfeita. Elas surgiram por acaso. Eu nunca tinha pensado em ter filhos até que vi as duas pela primeira vez e tive certeza que elas eram minhas filhas. Isso é uma coisa que não sei explicar”, afirmou ela em entrevista ao programa Encontro.

CÂNCER DE PULMÃO

A contratada da Rede Globo estava internada no hospital Copa Star, na Zona Sul, para tratar um câncer no cérebro.
A doença foi descoberta pela jornalista em 2019. Na ocasião, ela precisou se afastar dos trabalhos na TV para tratar a doença. Glória, inclusive, foi submetida a um processo cirúrgico de emergência que tinha como finalidade a retirada de uma “lesão expansiva cerebral”, ou seja, a remoção do tumor.

VEJA TAMBÉM: Saiba qual era a religião da apresentadora Glória Maria

+ Acessadas da Semana

Você não pode copiar o conteúdo desta página