Conecte-se conosco

Mais Conteúdo

João de Deus é condenado a mais 109 anos de prisão por crimes sexuais

Publicado

em

João de Deus é condenado a mais 109 anos de prisão - Foto: Divulgação

João Teixeira de Faria, conhecido como João de Deus, foi condenado, nesta quarta-feira (07/12), a 109 anos e 11 meses de prisão por crimes sexuais em Goiás.

Nos três processos em que ele foi condenado, o médium deve pagar indenizações por danos morais às vítimas em valores de até R$ 100 mil. Ele segue em prisão domiciliar determinada pelo Tribunal de Justiça do Estado de Goiás (TJGO), em substituição à prisão preventiva decretada pela comarca de Abadiânia.

De acordo com o Ministério Público de Goiás (MPGO), esta é a oitava condenação por crimes sexuais praticados contra mulheres durante atendimentos espirituais na cidade.

As sentenças emitidas nesta quarta são do juiz Marcos Boechat Lopes Filho, titular da comarca de Abadiânia. As condenações levaram em consideração os relatos de 42 vítimas que foram molestadas entre 1985 e 2018. João de Deus já havia sido condenado a um total de 211 anos de prisão, somadas todas as sentenças.

Ao g1, a defesa de João de Deus disse que irá “recorrer das sentenças uma vez que [os documentos] desconsideraram aspecto relevantes dos argumentos apresentados pela defesa”, como “a inobservância do prazo decadencial de seis meses para a representação da vítima”.

Veja as demais condenações de João de Deus por crimes sexuais:

  • 19 anos e quatro meses de reclusão por violação sexual mediante fraude, na modalidade tentada; violação sexual mediante fraude; e dois estupros de vulneráveis
  • 40 anos de reclusão por cinco estupros de vulneráveis
  • dois anos e seis meses de reclusão por violação sexual mediante fraude contra uma vítima
  • 44 anos e seis meses de reclusão por estupro contra duas vítimas e estupro de vulnerável em relação a outras duas vítimas
  • quatro anos de reclusão por violação sexual mediante fraude
  • 41 anos e quatro meses de reclusão por três crimes de estupro de vulnerável e por 21 crimes de violação sexual mediante fraude
  • 16 anos e 10 meses de reclusão por um estupro de vulnerável, uma) violação sexual mediante fraude e uma violação sexual mediante fraude na modalidade tentada
  • 51 anos e nove meses de reclusão por quatro crimes de estupro de vulnerável e três crimes de violação sexual mediante fraude

Publicidade

+ Acessadas da Semana