Conecte-se conosco

Brasil e Mundo

Nikolas Ferreira: “A situação da ilha de Marajó é muito triste e séria”

Publicado

em

Deputado Nikolas Ferreira comenta sobre denúncias de abuso na Ilha de Marajó e a seletividade na indignação pública - Foto: Reprodução

O deputado federal Nikolas Ferreira, conhecido por sua atuação política e por sua fé cristã, tornou-se centro de atenções nas redes sociais após publicar um vídeo intitulado “O que não te contaram…” onde abordou a polêmica envolvendo uma música da cantora gospel Aymeê Rocha e as denúncias de abuso sexual na Ilha de Marajó.

O vídeo, postado ontem (22/02), rapidamente viralizou e gerou uma ampla discussão nas redes, acumulando mais de 68 mil comentários no Instagram até às 10:30 desta sexta-feira.

Nikolas Ferreira inicia seu vídeo destacando as recentes denúncias sobre abuso sexual de crianças na Ilha de Marajó, trazidas à tona por Aymeê Rocha durante sua participação em um reality gospel. Ele menciona que, embora reconheça a importância de expor tais situações, ressalta a necessidade de contextualizar o tema, fazendo referência ao programa “Abrace o Marajó” lançado em 2020 pela então Ministra dos Direitos Humanos, Damares Alves, que já alertava para essas questões.

“Eu particularmente, acho isso excelente antes tarde do que nunca, mas eu tenho um ponto a fazer e para isso a gente precisa voltar um pouquinho no tempo. O ano era 2020 e a Damares, até então, era Ministra dos Direitos Humanos do Bolsonaro, lançava o programa Abrace o Marajó, que já denunciava os casos de abuso sexual no Brasil inteiro há muitos anos”, destacou o deputado em seu vídeo.

O parlamentar cita o vídeo de Damares Alves relatando casos de tráfico de crianças na ilha, ressaltando a reação cética e de deboche por parte da mídia e de alguns artistas na época. Ele aponta a ironia de como figuras públicas que agora se manifestam contra o abuso infantil na Ilha de Marajó mantiveram-se em silêncio quando Damares fez suas denúncias.

“Basicamente, toda a Internet naquela época fez chacota com a Damares por conta das denúncias que ela tinha feito. Inclusive essa foi a reação da esquerda. Eles utilizaram ali a minha foto para poder satirizar, para poder brincar com uma denúncia de abuso sexual da ilha do Marajó, e pessoas como ele ajudou aí a ridicularizar uma denúncia que tinha sido feita”, lamentou Nikolas Ferreira.

Ele destaca a seletividade na indignação de alguns artistas e personalidades públicas, mencionando casos onde figuras como Xuxa Meneghel pediram a cassação de Damares Alves por suas denúncias sobre a Ilha de Marajó, mas mantiveram-se em silêncio na época em que as denúncias foram feitas.

“Onde estavam essas pessoas aqui quando a Damares simplesmente estava denunciando o que acontecia na ilha de Marajó? Elas basicamente estavam em completo silêncio. Por quê? Afinal de contas, a gente só pode apoiar uma causa se tiver do nosso lado. Se for Ministro de Bolsonaro, aí Eu Não vou apoiar prova dessa indignação seletiva dos artistas”, ressaltou o deputado.

Nikolas Ferreira também menciona seu requerimento ao Ministério dos Direitos Humanos para obter informações sobre o programa “Cidadania Marajó”, criado após a revogação do “Abrace o Marajó” durante o governo de Jair Bolsonaro, enfatizando a gravidade da situação na ilha e a necessidade de união para combater o abuso infantil.

“Enfim, a situação da ilha de Marajó é muito triste e muito séria, mas graças a Deus, levantou pessoas para poder combater esse mal. (…) É muito pior do que se imagina”, alerta o parlamentar em seu vídeo. Assista:

🔔 SIGA O PORTAL DO TRONO NO WHATSAPP. CLIQUE AQUI PARA RECEBER NOTÍCIAS DIRETO NO SEU CELULAR

+ Acessadas da Semana

Você não pode copiar o conteúdo desta página