Conecte-se conosco

Minas Gerais

Nikolas Ferreira denuncia colégio por autorizar adolescente transgênero a usar banheiro feminino

Nikolas Ferreira, vereador de Belo Horizonte, recomendou pais a tirarem seus filhos de colégio católico

Publicado

em

Nikolas Ferreira critica decisão de Colégio Santa Maria - Foto: Reprodução/YouTube

O vereador de Belo Horizonte (MG), Nikolas Ferreira (PL), denunciou um caso envolvendo um colégio da capital mineira em que autoriza pessoas transgêneros a utilizarem banheiros do sexo em que se identifica.

Nikolas, que tem lutado contra a esquerda, o feminismo e a ideologia de gênero em BH, disse que chegou até sua irmã, de 16 anos – estudante do Colégio Santa Maria -, um caso em que um aluno, de 15 a 16 anos, que tem utilizado o banheiro feminino desta escola, que está debaixo de uma administração católica, a PUC Minas.

O vereador fez questão de exibir um vídeo em que uma estudante questiona o aluno o motivo dele estar usando o banheiro para meninas. Na cena, é possível observar o garoto, que se identifica como mulher, lavando as mãos em uma das pias do banheiro. As imagens não mostram o rosto dos envolvidos.

Ao ser questionado, o garoto afirma que ele pode utilizar o banheiro pois “está na lei do colégio”. Ele diz ainda que tem esse direito garantido. Uma segunda pessoa, possivelmente uma faxineira, defende o garoto. A possível funcionária, ainda, disse à estudante que ela poderia estar cometendo transfobia contra o adolescente.

“CONSELHOS PARA OS PAIS”

Ferreira criticou o colégio e recomendou que os pais tirem seus filhos da instituição por “doutrinação e negação da realidade”. Ele ainda afirma que em muitas inistuições escolares têm acontecido casos parecidos, e que os pais “não estão tendo para onde correr”. Ele aproveitou para defender o homeschooling, ou ensino domiciliar, para que os pais possam ensinar seus filhos.

“Eu tenho total direito de expressar minha opinião como cidadão e alertar principalmente aos pais O que está acontecendo [no colégio Santa Maria]. Infelizmente a realidade está sendo completamente destruída. Leis como essa que permitem um transgênero entrar em qualquer banheiro, não somente os transgêneros, mas também homens mal intencionados, porque existe mal-caratismo, criminosos, principalmente no nosso país”, disse o parlamentar.

Publicidade

Segundo o vereador, os ativistas LGBTs e feministas querem impor algo na sociendade, e ao mesmo tempo pune quem discordar o contrário. Ele lembrou que essas discordâncias muitas vezes acabam culminando em acusações de homofobia e transfobia.

De acordo com o vereador, os movimentos LGBTs e feministas dizem que todo homem é um estuprador em potencial. Em seu relato, o parlamentar disse que, mesmo que homem não tenha antecedentes criminais, é considerado por esses movimentos um “estuprador em potencial” por ser homem.

Para o vereador, não faz sentido que um homem, que passa a se considerar mulher, entre em banheiro feminino e consequentemente tem o apoio da militância. Da mesma forma, uma mulher que se acha homem, entre em banheiros masculinos sem sofrer nenhuma acusação por parte dos ativistas. “Ou seja, está colocando ela em um espaço de vulnerabilidade e perigo, por estar em volta de vários ‘potenciais estupradores’”, disse.

Publicidade

O QUE DIZ O COLÉGIO?

O Colégio Santa Maria informou, nesta sexta-feira (01/06), que avalia quais medidas tomar em relação “à exposição de uma aluna transgênero” no vídeo divulgado pelo vereador.

“Estamos tomando as providências necessárias para as ações reparatórias cabíveis a partir da apuração das circunstâncias em que se deu a captação indevida de imagens em espaço privativo do Colégio e de uma exposição inadequada e desrespeitosa da Instituição e de seus membros”, declarou o diretor do colégio.

Publicidade

Ainda segundo a declaração, a escola tem tomado os cuidados necessários à proteção da imagem da estudante e da comunidade escolar.

“O Colégio Santa Maria Minas deixa claro que vinha cumprindo rigorosamente o que está previsto em normas legais que tratam do assunto e com a devida orientação a professores e funcionários para que a situação fosse sempre cercada do devido respeito a todas as pessoas da comunidade escolar”, diz.

DENÚNCIA AO MP

A vereadora Bella Gonçalves (PSOL) afirmou também nesta sexta, que vai denunciar Nikolas Ferreira ao Ministério Público por transfobia e violação ao Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) pela divulgação do vídeo.

Publicidade

“A gente não aguenta mais tanta covardia contra as pessoas LGBTQIA+. Covardia porque o vereador Nikolas Ferreira um vídeo que instiga a violência contra um adolescente de 15 anos e contra uma escola de Belo Horizonte que tem tido suas páginas atacadas a partir das posições transfóbicas pelo vereador que acha que está acima da Constituição Federal, que atua de forma mesquinha e covarde”, afirmou a vereadora.

“É necessário colocar os pingos nos is. Estamos colocando crianças, dando a possibilidade de pessoas que, por se sentir mulher ou por se sentir homem, entre em um espaço onde só tenha meninas. A minha irmã experimentou essa experiência de adentrar dentro de um banheiro feminino e ter lá um menino de 16 anos”, disse ela em sessão na Câmara dos Vereadores desta sexta.

Publicidade

+ Acessadas da Semana