Conecte-se conosco

Mais Conteúdo

Novo vírus identificado na China infecta 35 pessoas e acende alerta

Publicado

em

Novo vírus chamado Langya henipavirus é descoberto na China - Foto: Reprodução/Twiter

Um novo vírus do gênero Henipavírus, grupo conhecido por já ter causado surtos de infecções altamente letais em humanos, foi revelado por cientistas na última quinta-feira (04/08). Segundo os pesquisadores, o LayV causou infecções em ao menos 35 pessoas na China entre 2018 e 2021.

De acordo com a equipe de pesquisadores, as 35 pessoas são das províncias de Shandong e Henan. A doença causa alguns sintomas similares à primeira fase da covid-19, como febre alta, cansaço e tosse. Todos os casos foram detectados e analisados ao longo desses anos, mas só foram descritos agora na revista científica The New England Journal of Medicine.

O surgimento da doença acende um alerta para a comunidade científica. Isso porque o vírus é do gênero Henipavírus, que já causou surtos mortais aos seres humanos, especialmente na Ásia. A pesquisa relata que os pacientes tiveram contato recente com animais e não há casos de transmissão de humanos para humanos.

Os pesquisadores, liderados por Xiao-Ai Zhang e Hao Li, ambos do Instituto de Microbiologia e Epidemiologia de Pequim, informaram que as amostras coletadas no estudo eram muito pequenas para determinar se há ou não a transmissão de humanos para humanos, mas eles não descartam essa hipótese.

No artigo, ressaltam que se trata de uma “descoberta que merece investigação adicional para entender melhor a doença humana associada”, sinalizando a importância de se manter em alerta para evitar uma nova epidemia. A opinião é compartilhada por Werciley Júnior, coordenador de infectologia do Hospital Santa Lúcia, em Brasília. “O novo vírus está restrito a regiões da China, mas pode chegar a outras partes do mundo”, justifica.

Destes, 26 casos foram analisados em detalhes — revelando que 100% dos pacientes tiveram febre e, em alguns casos, outros sintomas, como fadiga (54%), tosse (50%), dor de cabeça (35%), vômito (35%). Foram registradas ainda algumas anormalidades no funcionamento do fígado (em 35% dos pacientes) e rins (8%). Não há informações sobre eventuais mortes.

Entre as 25 espécies de animais selvagens pesquisadas, o RNA do LayV foi detectado predominantemente em musaranhos (27%). O dado sugere que o animal pode ser um reservatório natural de LayV, mas a informação não foi confirmada.

O musaranho é um mamífero de pequeno porte que se alimenta principalmente de insetos. É encontrado em todos os continentes, exceto na Oceania. Nunca foi identificado no Brasil.

+ Acessadas da Semana

Você não pode copiar o conteúdo desta página