Arqueólogos acham restos de barco que afundou com apóstolo Paulo em Malta

Arqueólogos do Instituto de Arqueologia, Buscas e Explorações da Bíblia (BASE, na sigla em inglês) anunciaram que podem ter encontrado evidências arqueológicas dos eventos descritos no livro de Atos dos Apóstolos.

Ilustração do naufrágio de Paulo em Malta.
Ilustração do naufrágio de Paulo em Malta.

Acredita-se que Paulo, um dos principais apóstolos da Bíblia, tenha naufragado junto a cidade de Malta, quando ele viajava rumo a Roma, como é descrito em Atos dos Apóstolos.

Os exploradores do BASE disseram ter identificado uma das âncoras do naufrágio, em uma área com as características do local do naufrágio do apóstolo Paulo.

O fundador do BASE e estudioso da Bíblia, Bob Cornuke, viajou para Malta onde ele afirma ter desenterrado uma âncora que data do século I d.C., que foi localizada na região que corresponde às descrições da Bíblia Sagrada.

O especialista afirmou que a Baía de São Tomás, na costa sudeste de Malta, é o lugar mais provável do naufrágio bíblico.

As âncoras foram descobertas por mergulhadores nos anos 60, em número de 4, mas só uma sobreviveu, pois os mergulhadores não sabiam o que eles tinham realmente encontrado, nem a importância dos artefatos.

As duas primeiras foram fundidas para fazer cintos de mergulho, a terceira se perdeu e a quarta ficou na posse da viúva de um dos mergulhadores.

“Essa âncora pode ser o único artefato mencionado no Novo Testamento que foi recuperado e preservado na nossa era, dois mil anos depois do fato”, disse Cornuke.

O instituto BASE também afirmou que são várias as semelhanças com as descrições bíblicas. A geografia da área, por exemplo, coincide com o relato histórico: a praia arenosa e a profundidade de água. Em Atos 27:28 diz, para se ter ideia, que a água era de 27 metros de profundidade. E essa informação bate com o que eles encontraram, em 27 metros de profundidade.

“Todos esses fatores tomados em conjunto são argumentos muito convincentes de que não só a Baía de São Tomás de hoje é o lugar correto do naufrágio de Paulo [mas também que] as quatro âncoras retiradas recentemente dessas águas eram essas mesmos âncoras mencionadas nos Atos”, explica.