in

Assédio de Marcius Melhem à Dani Calabresa cai como bomba na direção da Globo

A Globo divulgou um comunicado falando sobre suas políticas de apuração sobre denúncias internas envolvendo seus funcionários. A emissora informou que “não comenta questões de compliance, mas reafirma que todo relato de assédio é apurado criteriosamente assim que a empresa toma conhecimento”. As informações são do Estadão e da revista Piauí.

Publicidade

A Globo disse ainda que “não tolera comportamentos abusivos em suas equipes e incentiva que qualquer abuso seja denunciado”. A emissora destacou a manutenção de um “canal aberto” para denúncias, e o compromisso com sigilo dos processos e a sua investigação, além de ressaltar que “não faz comentários sobre as apurações”.

As medidas cabíveis tomadas após as apurações “podem ir de uma advertência até o desligamento” dos funcionários e que, neste último caso, “as razões de compliance não são tornadas públicas”

As primeiras denúncias surgiram no fim de 2019, e foram negadas por Melhem. Em março de 2020, ele se afastou do comando do humor da emissora, e também de suas funções como roteirista e ator, alegando a necessidade de acompanhar tratamento de saúde de sua filha.

O período inicial de licença seria de quatro meses. Em vez de retornar, porém, Marcius Melhem teve seu contrato com a emissora encerrado após 17 anos. No comunicado final, a emissora destacou sua “importante contribuição para a renovação do humor” e não citou as acusações de assédio, o que teria gerado insatisfação em alguns artistas que acompanharam o caso internamente.

Em 24 de outubro, uma reportagem da Folha de S.Paulo, trouxe entrevista com a advogada Mayra Cotta, que assessora um grupo de artistas que endossam as acusações contra Marcius Melhem.

“Houve um comportamento recorrente, de trancar mulheres em espaços e as tentar agarrar, contra a vontade delas. De insistir e ficar mandando mensagem, inclusive de teor íntimo, para mulheres que ele decidia se iam ser escaladas ou não para trabalhar, se ia ter cena ou não para elas. De prejudicar as carreiras de mulheres que o rejeitaram. De ficar obcecado, perseguindo, mesmo. Foi um constrangimento sistemático e insistente, muito recorrente”, relatou, à época.

Pouco depois, em seu Twitter, Marcius Melhem se manifestou publicamente sobre as acusações pela primeira vez.

PUBLICIDADE

“Diante de acusações tão graves, que de forma alguma cometi, o que eu posso fazer? Negar. Coloco à disposição toda minha comunicação que tenho arquivada, com qualquer pessoa que tenha trabalhado ou se relacionado comigo nesses anos”, afirmou ele.

“Mas, mesmo abraçando profissionalmente a causa feminista, ainda combato o machismo dentro de mim, erro, posso ter relações que magoem. Tento melhorar e aprender. E queria muito falar sobre isso”, disse Marcius, em outro momento.

Nesta sexta-feira (4), a revista Piauí publicou novos detalhes sobre o caso, após ter colhido depoimentos de 43 pessoas, entre vítimas e testemunhas, muitas das quais na condição de anonimato Entre os relatos, há detalhes dos supostos assédios que teriam sido praticados por Melhem e relatados ao compliance da emissora

Também há relatos de medidas que teriam sido tomadas por funcionários da Globo em relação à situação, como uma sugestão de que Marcius Melhem fizesse terapia após uma acusação.

A matéria tem início com a descrição de uma festa de confraternização pelo centésimo episódio do Zorra, após a reformulação do programa em 2015. Em um dos momentos, Marcius teria encurralado Dani Calabresa no banheiro, tentado beijá-la à força, imobilizando-a e, em seguida, teria colocado o pênis para fora da calça. Após se desvencilhar do humorista, a atriz passou por uma crise de choro e precisou ser amparada por Luís Miranda e George Sauma, que na época também faziam parte do elenco do programa.

As acusações ganharam força quando passaram por Carlos Henrique Schroder, diretor da área de Entretenimento, Esporte e Jornalismo da emissora, que determinou a realização de uma investigação. Durante a apuração, novos casos contra o então diretor de humor da emissora apareceram: três atrizes falaram do incômodo de contracenar com ele e citaram situações em que Melhem passava o pênis ereto nelas.

A reportagem ressalta que Marcius Melhem decidiu não dar entrevista, alegando que “a sentença” do caso “já estava dada”. Além disso, o ator também disse que pediria desculpas a quem magoou, mas que teria o direito de saber quem são essas pessoas. “Estou disposto a assumir qualquer erro ou dano que tenha causado. Mas é preciso que a conversa seja transparente, sem omissões, mentiras ou distorções sobre as relações”, escreveu na declaração à Piauí, afirmando, ainda, que iria buscar “justiça”.

Publicidade

Marcius Melhem esfregou pênis em Dani Calabresa em caso de assédio na Globo

Cirurgia para retirar tumor de Fátima Bernardes foi um sucesso e ela está bem