Conecte-se conosco

Mais Conteúdo

Banco Central libera consulta a ‘dinheiro esquecido’ e pedido de transferência

Publicado

em

'Dinheiro esquecido': BC começa a liberar consulta de valores e pedidos de resgate - Foto: Divulgação

Iniciou nesta nesta segunda-feira (07/03), a consulta dos valores e o regaste para aqueles que têm “dinheiro esquecido” em bancos. Os brasileiros já podem conferir o valor dos recursos e pedir o resgate a partir desta data.

Segundo o Banco Central, são R$ 4 bilhões que serão pagos a 28 milhões de clientes – 26 milhões de pessoas físicas e 2 milhões de empresas, segundo o Banco Central.

Neste primeiro momento, de 7 a11 de março, somente pessoas que nasceram antes de 1968 ou que criaram empresas anteriormente a esse ano vão poder conferir o saldo disponível para resgate, segundo o BC.

Até a última sexta-feira (25/02), 116.808.865 clientes, pessoas físicas e empresas, tinham feito consultas no sistema para saber se tinham algum dinheiro esquecido.

Desse total, 25,9 milhões de contas de pessoas físicas e 253 mil contas de pessoas jurídicas tinham alguma quantia a receber. Outros 90,6 milhões não tinham saldo, segundo o Banco Central.

A partir da semana seguinte, será a vez daqueles que nasceram entre 1968 e 1983 realizarem a consulta e, uma semana depois, os demais usuários com dinheiro esquecido. Veja o calendário abaixo:

CALENDÁRIO

As consultas de valores e pedidos de resgate devem ser feitos seguindo o calendário abaixo, que considera a data de nascimento do cliente ou de criação da empresa.

COMO CONSULTAR O VALOR E PEDIR O RESGATE

Quem já fez a consulta inicial para saber se tem ou não recursos recebeu uma data específica para retornar ao site do valoresareceber.bcb.gov.br. Quem ainda não fez a primeira consulta deve fazê-lo o mais breve possível. É só acessar o site do valoresareceber.bcb.gov.br e fazer a consulta usando o número do CPF e a data de nascimento

Para fazer a consulta dos valores, é preciso ter acesso à conta gov.br, nível prata ou ouro. O login nível “prata’ ou “ouro” exige maior nível de segurança, como reconhecimento facial, permitindo o acesso a bancos credenciados e a serviços mais sensíveis. A criação da conta gov.br é gratuita. Quem ainda não possui, pode fazer o cadastro pelos seguintes caminhos: site Acesso (https://sso.acesso.gov.br) – App gov.br (link IOS) –
App gov.br (link Android).













+ Acessadas da Semana

Você não pode copiar o conteúdo desta página