in

Após indicar católico, Bolsonaro diz que próxima vaga para o STF será de pastor

Em evento da igreja Assembleia de Deus na noite desta segunda-feira em São Paulo, o presidente Jair Bolsonaro prometeu indicar um pastor evangélico em julho do ano que vem para a vaga do ministro Marco Aurélio, no Supremo Tribunal Federal (STF). As informações são do jornal O Globo.

Publicidade

Bolsonaro rebateu críticas que tem recebido, inclusive no segmento evangélico, por ter escolhido para a vaga do ministro Celso de Melo, o desembargador Kassio Nunes Marques, do Tribunal Regional Federal da 1ª Região.

A ala de apoiadores do presidente tida como ideológica é resistente ao nome de Kassio por acreditar que ele é ligado à esquerda e não é tão conservador quanto gostariam.

“Alguns um pouco precipitados achavam que devia ser a primeira vaga do STF. Será a segunda em julho do ano que vem.  Mais que um terrivelmente evangélico, será um pastor. Imagine a sessão daquele Supremo começar com uma oração. Tenho certeza que isso não é mérito meu. É a mão de Deus”, afirmou Bolsonaro.

PUBLICIDADE

O aceno do presidente aos evangélicos foi feito durante o aniversário do pastor José Wellington, de 86 anos, que é líder da Assembleia de Deus Ministério do Belém, em São Paulo.

Bolsonaro foi ovacionado pelos fiéis e foi apresentado como um presidente que comunga com os valores da pauta evangélica.  Ao discursar aos fiéis, o pastor José Wellington prometeu orar por Bolsonaro e por seu governo e o abençoou.

Publicidade

Igreja está em choque após pastor ser morto a tiros no púlpito enquanto orava

Pastora é autuada por escravidão ao manter fiéis trabalhando ‘em troca de salvação’