Bolsonaro suspende mudança de embaixada em Israel por temer impacto

Publicidade

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) disse, durante café com jornalistas no dia 1º, que a mudança da embaixada brasileira de Tel-Aviv para Jerusalém estava “em banho maria”.

Presidente Bolsonaro recebeu o presidente de Israel no início do ano.
Presidente Bolsonaro recebeu o presidente de Israel no início do ano.

Bolsonaro disse que será necessário averiguar melhor como será a reação dos países árabes sobre o assunto, já que o Brasil é parceiro comercial dessa região tão importante para a economia.

Publicidade

O presidente foi questionado se iria voltar atrás com sua promessa de campanha, e se justificou usando o exemplo do presidente dos EUA: “O Trump demorou 8 meses para isso [mudar a embaixada]… não faremos por menos”, declarou.

A transferência da embaixada de um lugar para o outro é uma promessa de campanha de Bolsonaro, que atraiu milhares de católicos e evangélicos. Ela significa o reconhecimento de Israel como sendo do povo judeu, e Jerusalém sua capital.

A briga se dá justamente aí: os árabes também reivindicam o espaço, igualmente sagrado para eles, e por isso o defende à base da força militar e influência religiosa, contando com muito dinheiro financiado pelos shakes donos de petróleo. Especialistas, e agora o presidente Bolsonaro, começaram a se preocupar com a posição do Brasil nesse conflito, que não é dele, e suas consequências à nossa soberania e economia.

Publicidade

É o que pensa, inclusive, auxiliares direitos do presidente, como o general da reserva Carlos Alberto dos Santos Cruz, que disse em entrevista à BBC este ano que a transferência da embaixada deve terminar apenas como uma “esperança” para os evangélicos, pois não deve sair do papel por agora.

“Olha, eu não vou falar nem pelo Bolsonaro, nem pelo Ernesto (Araújo, ministro das Relações Exteriores), mas eu acho que eles (evangélicos) vão ficar na esperança. Porque uma coisa é você dizer que tem intenção, outra coisa é você concretizar. Para sair de uma ideia para a vida real, você tem uma série de outras considerações de ordem prática. Então, eu acho completamente inviável essa conexão”, afirmou.