in

Câmara envia processo de Flordelis à Comissão de Ética e ela pode perder mandato

A Mesa Diretora da Câmara dos Deputados decidiu nesta quarta-feira (28), por unanimidade, encaminhar para o Conselho de Ética o caso da deputada Flordelis (PSD-RJ). Um eventual processo no conselho, que ainda não está se reunindo devido à pandemia, pode levar à cassação do mandato da parlamentar. As informações são do G1.

Publicidade

Flordelis é ré na Justiça, acusada de ter sido a mandante do assassinato do marido, o pastor Anderson do Carmo. Ele foi morto a tiros em junho de 2019.

Desde o início das investigações, Flordelis nega as acusações do Ministério Público e afirma ser alvo de “perseguição”.

Por ter imunidade parlamentar, a deputada segue em liberdade, mas, desde o dia 8, tem sido monitorada por uma tornozeleira eletrônica. Foram quase três semanas entre a ordem da Justiça para monitorá-la e a instalação do equipamento.

A reunião da Mesa Diretora aconteceu na residência oficial do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ). O encontro estava previsto para terça (27), mas foi adiado para esta quarta.

Os integrantes da Mesa Diretora aprovaram o relatório do corregedor da Câmara, Paulo Bengtson (PTB-BA), que recomendou o prosseguimento do caso ao Conselho de Ética.

No relatório, Bengtson afirmou que os fatos descritos na representação feita à Câmara pelo deputado Léo Motta (PSL-MG), em agosto, e no inquérito policial, “constituem indícios suficientes de irregularidades ou de infrações às normas de decoro e ética parlamentar”.

PUBLICIDADE

“O relatório foi aprovado de forma unânime e será encaminhado o caso da deputada Flordelis para a comissão de ética que, segundo o presidente, será encaminhada e retomada na próxima semana”, afirmou o corregedor da Câmara.

De acordo com Bengtson, os deputados costuram uma acordo para aprovar um projeto de resolução no plenário e permitir o trabalho do Conselho de Ética de forma remota.

O relatório foi aprovado por 5 votos a 0. Participaram o presidente Rodrigo Maia, o segundo secretário Mario Heringer (PDT-MG), o segundo vice-presidente Luciano Bivar (PSL- PÉ) , a primeira secretaria Soraya Santos (PL-RJ) e o quarto secretário André Fufuca (PP-MA).

Apesar da decisão desta quarta-feira a favor do prosseguimento do processo de Flordelis, o caso não será retomado imediatamente. Isso porque o Conselho de Ética está fechado em razão da pandemia do novo coronavírus.

O funcionamento depende da aprovação pelo plenário principal da Câmara de um projeto de resolução. Até agora, porém, não há uma definição para essa votação.

Publicidade

Pastor René Kivitz diz que Bíblia precisa ser ‘atualizada’ para acolher LGBTs

Oposição acusa Bolsonaro de querer privatizar o SUS com decreto