Conecte-se conosco

Minas Gerais

Após denunciar colégio, Nikolas Ferreira será INVESTIGADO por transfobia

O pedido de investigação foi protocolado ao MPMG pela Aliança Nacional LGBTI de MG e vereadoras do PSOL

Publicado

em

Vereador Nikolas Ferreira - Foto: Facebook

Depois de denunciar um caso envolvendo um colégio de Belo Horizonte (MG) que autorizou pessoas transgêneros a utilizarem banheiros do sexo em que se identifica, o vereador Nikolas Ferreira já começa a colher frutos desta decisão.

O Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) abriu uma investigação para apurar se o jovem vereador conservador cometeu transfobia por publicar sobre o caso.

Nikolas expôs o caso do Colégio Santa Maria, em que um aluno, de 15 a 16 anos, tem utilizado o banheiro feminino desta escola. A irmã do vereador é estudante do colégio.

O vereador fez questão de exibir um vídeo em que uma estudante questiona o aluno o motivo dele estar usando o banheiro para meninas. Na cena, é possível observar o garoto, que se identifica como mulher, lavando as mãos em uma das pias do banheiro. As imagens não mostram o rosto dos envolvidos.

Mas a repercussão foi grande, e foi motivo de atrito dele com a colega de Câmara Municipal de Belo Horizonte, Bella Gonçalves (PSOL). Ela afirmou que iria denunciar Nikolas Ferreira ao Ministério Público por transfobia e violação ao Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) pela divulgação do vídeo.

De acordo com o MPMG a representação foi feita na Coordenadoria de Combate ao Racismo e Todas as outras Formas de Discriminação (CCRAD), que instauraram os procedimentos para a investigação.

Publicidade

“Nada mais é do que uma perseguição obviamente. Não quer ser filmado, não entra no banheiro de menina sendo homem”, alegou Nikolas ao afirmar ainda que a aluna não é identificada no vídeo e o nome também não teria sido divulgado. “Simplesmente é a minha irmã que estava (filmando) no direito dela”, disse Nikolas ao jornal O Tempo.

Entenda o caso clicando Aqui!

Publicidade

+ Acessadas da Semana