in

Entregador que sofreu racismo diz: ‘Desde o primeiro dia, ele está perdoado’

Matheus Pires, o entregador de aplicativos de venda de comida que foi insultado com ofensas racistas por um morador de um condomínio no bairro Chácaras Silvania, em Valinhos (SP), disse que perdoou o agressor.

Publicidade

“Desde o primeiro dia, ele está perdoado. Meu objetivo ao tornar essa história pública nunca foi criar essa repercussão toda. Só espero que ele reflita. Se ele tiver algum problema psicológico, como estão dizendo, espero que possa melhorar, que receba ajuda. E estou à disposição se ele quiser falar comigo”, disse ele em entrevista ao programa do Datena na Band News FM.

O motoboy disse ainda que tomou todas as providências necessárias na justiça para que o crime de racismo não fique impune.

“Não faço nada disso para me glorificar. Sou só um cidadão comum. Mas existe todo um pessoal por trás de mim que eu posso representar. Se não fizesse nada neste momento, perderia essa oportunidade. Por isso estou fazendo tudo que posso, tudo que dá para fazer juridicamente”, disse.

PUBLICIDADE

Matheus Pires acredita, no entanto, que o racismo não vai acabar, mas considera essencial que o debate seja encarado pela sociedade, que deve respeitar os trabalhadores autônomos que prestam serviços nesse período de isolamento.

“Não é a primeira vez que esse tipo de coisa acontece. Também não sou o único. Todos passamos por isso diariamente. Tomara que seja uma oportunidade para quem pensa assim poder mudar um pouco. As pessoas precisam entender que os entregadores são importantes, principalmente na pandemia”, reflete.

Publicidade

Silas Malafaia irá processar Ancelmo Gois, colunista do jornal O Globo

Anvisa libera dose de reforço da vacina contra Covid-19 de Oxford em teste