in

Estudo revela que árabes e judeus atuais conservam DNA dos cananeus

Os “cananeus” foram um povo conhecido na Bíblia por viver “em uma terra que jorra leite e mel”, até que foram vencidos pelos israelitas e desapareceram do mapa. Um estudo revelou, no entanto, que há herança genética dos cananeus sobrevivendo em muitos judeus e árabes do mundo moderno.

Publicidade

A pesquisa foi publicada na revista científica Cell, e replicada pela National Geographic.

A equipe de cientistas extraiu o DNA de ossos de 73 indivíduos que foram enterrados num período de 1,5 mil anos em cinco sítios arqueológicos cananeus que estão espalhados pela Jordânia e também Israel. Dados de outros 20 indivíduos, que já haviam sido coletados anteriormente, também foram levados em consideração.

“Os indivíduos de todos os sítios apresentam um grau de semelhança genética alto”, disse o coautor da pesquisa, Liran Carmel, que é evolucionista molecular da Universidade Hebraica de Jerusalém.

PUBLICIDADE

Isso significa que, embora os cananeus tenham vivido em cidades-estados afastadas e nunca tenham se unido em um único império, esse povo compartilhava a mesma herança genética e cultura.

Os cientistas também fizeram uma comparação do DNA antigo dos cananeus com o das populações do mundo de hoje, e descobriram com isso que a maioria dos grupos árabes e judeus da região possuem mais da metade de seu DNA idêntico ao dos cananeus e de outros povos que habitavam o antigo Oriente Próximo: a área que abrange hoje grande parte das regiões de Levante, Cáucaso e Irã.

Alguns pesquisadores falam em até 90% de similaridade entre os materiais genéticos do passado com os atuais, o que indica uma forte preservação dos traços característicos dos cananeus nos judeus e árabes do mundo moderno.

Publicidade

Pastor é preso em flagrante por fazer “gato” de energia elétrica em igreja

Silas Malafaia irá processar Ancelmo Gois, colunista do jornal O Globo