in

Ex-tiazinha comemora nova vida na igreja e exalta seus fios brancos: ‘Liberdade’

Suzana Alves ganhou elogios por assumir os cabelos grisalhos. A atriz, que ficou conhecida por interpretar Tiazinha, ainda fez um balanço de 2020 em seu Instagram. As informações são da Quem.

“Acredite! 2020 não pode ser em vão! Não somos mais os mesmos, só seremos o que permitimos mudar no fundo da nossa complexidade! Plante em você agora o que deseja colher amanhã, no futuro próximo e por toda a vida, além e na infinita eternidade!”, disse ela.

A atriz, de 42 anos, recebeu muitos elogios. “Como você ficou linda com os cabelos brancos”, comentou um fã. “Linda! Me inspirei em você e estou dexando minhas madeixas grisalhas”, disse outra seguidora.

Para Quem, Suzana falou sobre a decisão de deixar de pintar os fios, tomada no começo da quarentena. “É maravilhosa essa liberdade de poder se olhar no espelho e ver uma pessoa bonita sem precisar se mascarar o tempo todo. Porque é isso que fazemos quando ficamos preocupados com que os outros vão pensar. À partir do momento em que você assume a idade, que se respeita, você começa a conhecer uma nova pessoa que mora dentro de você e começa a ver mais as suas qualidades”, conta ela.

De família evangélica, Suzana Alves ficou conhecida por seu personagem “Tiazinha”, que ia ao ar em rede nacional no programa do Luciano Huck na Bandeirantes nos anos 1990.

A personagem Tiazinha apresentava-se seminua, com uma máscara e um chicote, sensualizado com os convidados. Ela também já posou para a Playboy.

A fama, no entanto, trouxe complicações, e ela desenvolveu uma forte depressão, que a fez pensar em tirar a própria vida.

“Como eu poderia viver sendo uma personagem (a Tiazinha) para o resto da vida? Aquilo ia me enlouquecer. Ou então eu ia morrer, me suicidar, me afundar nas drogas. Quanto mais distante você está de você mesmo, mais louco fica”, afirmou.

Após flagra de pastor acariciando fiel, igreja escolhe novo presidente em MS

Epidemiologista: ‘Festas de natal e fim de ano trarão 2ª onda ao Brasil e muitos morrerão’