Conecte-se conosco

Mais Conteúdo

Falso médico detido em SP se passava por pastor, missionário e inventava profecias

Publicado

em

Além de mentir sobre sua formação, o falso médico ainda fez uma lista de vítimas se passando por pastor evangélico, missionário na África - Foto: Reprodução

Um dos assuntos que tem viralizado nas mídias e na imprensa é a detenção de um homem acusado de se passar por médico em Lavrinhas, no interior de São Paulo, e chegar a amputar uma perna de uma vítima de um engavetamento em uma rodovia.

Gerson Lavísio, de 32 anos, foi detido depois de realizar um procedimento na perna de uma vítima de acidente na via Dutra, e chegou a atuar por duas horas na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do bairro Jataí, no dia 3 de março de 2022.

Ele chegou a ser questionado por médicos da unidade, pois foi percebida a inconsistência no conteúdo de suas fichas de atendimento. Logo depois, ele deixou o local e não retornou.

Segundo o Portal UOL, o falso médico já adotou outras táticas para tentar aplicar golpes, como fingir ser um “coach cristão” e mentir sobre sua identidade até mesmo para uma ex-namorada, que descobriu que ele se relacionava com outra mulher ao mesmo tempo.

Segundo testemunhas, o suspeito aparece atendendo e pregando a fiéis de igrejas, dando conselhos espirituais e até mesmo previsões sobre o futuro dos devotos em 2020.

Uma reportagem de ontem do “Fantástico”, da TV Globo, mostrou que Gerson se passava por pastor e anunciava cultos em organizações que não existiam, usando as redes sociais. Ele também foi acusado de pedir dinheiro para viagens missionárias na África que nunca foram realizadas.

Gerson fazia fotos com uniformes e jalecos na internet para se passar como médico — Foto: Reprodução

Nas redes sociais, Gerson ostentava vídeos no púlpito de igrejas e vídeos em que entrega profecias a fiéis. Em um deles, diz a um jovem que ele teria uma promessa de ser jogador de futebol.

Ele fazia campanhas de oração e mentorias como “coach cristão”. De um de seus discípulos, ele chegou a levar R$ 400, e durante a pandemia, recebia contribuições mensais.

“A gente começou a ajudar, foi pouco mais de R$ 16 mil. Esse valor ninguém sabe para o que foi usado, na realidade”, detalhou uma das vítimas do golpe, que preferiu não se identificar.

Gerson usava um diploma falso e não tem registro no Conselho Regional de Medicina de São Paulo (Cremesp). O Cremesp informou que vai denunciar o falso profissional ao Ministério Público e abrir apuração contra a empresa que o contratou. Ele também é investigado pela Polícia Civil.

A prisão ocorreu no dia 15 em Pindamonhangaba, no interior de São Paulo. Segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF), a corporação descobriu que o homem utilizava o CRM de um médico morto e deteve o suspeito.

Ainda segundo a PRF, a equipe da concessionária e os policiais já desconfiavam das atitudes do suspeito, que foi encaminhado à delegacia para prestar esclarecimentos, mas deu respostas evasivas.

Já a Secretaria de Segurança Pública (SSP) informou que o homem confessou que não é médico, apenas fez curso de socorrista, e foi liberado após a assinatura de um termo circunstanciado. O caso foi registrado pelo 1º DP de Pindamonhangaba e encaminhado ao Juizado Especial Criminal (Jecrim).

Em pots, fazia divulgação de culto em igreja com endereço falso — Foto: Reprodução

Clique para comentar

Você precisa estar logado para postar um comentário Login

Deixe um Comentário













+ Acessadas da Semana

Você não pode copiar o conteúdo desta página