Fernanda Brum toma decisão contrária aos cantores gospel nas eleições

Fernanda Brum, uma das maiores cantoras gospel do país, foi questionada por uma seguidora no Instagram, sobre como ela irá se portar nesse período eleitoral. Diversos cantores evangélicos estão usando suas redes sociais para declarar apoio a políticos, divulgando propostas e criticando os candidatos adversários. A maioria dos artistas gospel estão tendendo a votar em Jair Bolsonaro (PSL), como André Valadão, Ana Paula Valadão, Lauriete e Samuel Mariano.

Fernanda Brum decide não fazer política nas redes.
Fernanda Brum decide não fazer política nas redes.

Na publicação de Fernanda Brum, que divulgava sobre a caravana que a cantora realiza todos os anos para Israel com seu esposo Emerson Pinheiro, uma seguidora comentou: “Sei que não tem nada a ver esse comentário nessa foto, mas a gente já tá decepcionado com vários cantores gospel. Promete pra gente que pelo menos você não vai tomar partido, defender, propagar nenhuma campanha política, please!”.

A cantora então respondeu: “Pode crer! Meu partido é o céu!”. Assim, Fernanda Brum decidiu que não irá se envolver com questões políticas como algumas de suas amigas, incluindo Eyshila. O fato dos cantores gospel estarem fazendo campanhas abertas para determinados políticos, fez com que diversas polêmicas e atritos com seguidores que pensam diferente viessem à tona, arranhando, em algumas situações, a imagem de credibilidade que esses cantores gospel possuem com o público. Michelle Nascimento, por exemplo, teve de apagar um publicação de apoio a Bolsonaro recentemente, após ser criticada pelos seguidores.

De fato, nenhuma publicação de Fernanda Brum até o momento faz alusão à campanha de nenhum candidato à presidência, tratando apenas de temas pertinentes à carreira da cantora, na contra-mão de outros muitos artistas da área. Para muitos, essa devia ser a postura adotada por toda a classe, para outros, no entanto, essa conduta revela omissão com as causas cristãs. Confira abaixo o post de Fernanda Brum que deu origem a declaração:

Tadeu Ribeiro
[email protected]