Fernanda Brum abre ferida do passado após indicação gospel ao Grammy

A cantora gospel Fernanda Brum utilizou suas redes sociais para compartilhar um momento único com seus seguidores hoje de madrugada (10). Após ser indicada ao Grammy Latino com “Som da minha vida”, álbum lançado esse ano e que concorre como melhor álbum cristão em língua portuguesa.

Cantora gospel Fernanda Brum compartilha experiência de voltar ao passado.
Cantora gospel Fernanda Brum compartilha experiência de voltar ao passado.

Fernanda Brum resolveu voltar à casinha humilde que ela cresceu em Irajá (RJ): “Lembro-me do cano que jorrava água fria, da cortina de plástico, do chão vermelho…”, começa o relato. A cantora gospel lembra o quanto era humilde o lugar que nasceu e que foi criada, como também a forma que seus pais a educaram: “Como é bom ter quem te treine para vida; quem te ensine que um cano com água gelada é só água gelada; e que pulgas e carrapatos podem ser vencidos sem medo!”, disse.

Filha de policial militar, Fernanda Brum fez um paralelo do que viveu no passado e o que está vivendo hoje em dia: “Voltar nessa casa me trouxe muitas dores, muitas memórias, mas eu voltei lá viva para fotografar o “Som da minha vida” que hoje concorre ao Grammy Latino na categoria álbum de música cristã em língua portuguesa. As pessoas talvez não saibam o que foi sair desse banheirinho para o Grammy.”, analisa. Confira abaixo as duas publicações com o relato completo da cantora gospel:

 

Visualizar esta foto no Instagram.

 

Cresci aqui. Vivi nessa casinha alguns anos da minha vida. Lembro-me do cano q jorrava água fria, da cortina de plástico, do chão vermelho… Ir p/ escola era um desafio. No frio, o cano era de água gelada. No calor, a telha de zinco “fritava” a gente às 6 da manhã. Mto perigo, mto bandido, mta ausência, mta dor, mas mta criatividade e vivência. Como é bom ter quem te treine para a vida; quem te ensine que um cano com água gelada é só água gelada; que pulgas e carrapatos podem ser vencidos sem medo! Como é bom saber limpar panelas com bombril e sabão em pó e colocar para “quarar” no sol até ver seu próprio rosto refletido nelas. Como é bom receber treinamento de primeiros socorros e aprender como dirigir logo cedo. Voltar nessa casa me trouxe mtas dores, mtas memórias, mas eu voltei lá viva p/ fotografar o “Som da minha vida” que hoje concorre ao Grammy latino na categoria álbum de música cristã em língua Portuguesa. As pessoas talvez não saibam o que foi sair desse banheirinho para o Grammy. Elas não sabem que o fotógrafo contratado se recusou a entrar lá pq estava sujo e que essa foto fora clicada pelos @hiperarivos. Eles não sabem q mais q voltar lá, eu fui mostrar que quando se diz sim pra Jesus, não importa de onde você veio! Se é para a Glória dEle, Ele mesmo te leva. O álbum foi um dos mais difíceis da minha vida. Voltei lá e abri uma caixa de contra ataques que estava enterrada “geracionalmente”! Já tinha feito isso antes! De medo, não morro! Fui fruto disso: de rua, de água fria, de pé no chão no barro, de joelhos encerando o vermelhão; colando rótulos nas latas de palmito e ajudando sempre no novo bussiness dos meus pais. Fui de ter muito e de n ter nada! Inventava antena de televisão c/ ferro de passar roupas, mas nunca me faltou disposição p/ entrar onde ninguém quer e de descobrir o q ninguém quer ver. Às vezes dói, às vezes cansa! Mas a verdade sempre me guiará! Esse é o som da minha vida: a verdade! Sim, eu vim de lá! De Colégio, bairro de pouca gente conhecida! Nascida em São João de Meriti, criada em Irajá, estudante em Rocha Miranda, Vista Alegre e Guadalupe! Às vezes, me faltam forças. Às vezes, tenho demais.

Uma publicação compartilhada por Fernanda Brum (@brumfernanda) em

 

Visualizar esta foto no Instagram.

 

Meu sentimento é de que eu nem comecei ainda. Minha vivência é de 60 anos de idade. Nessa foto, dentro do “banheirinho” ainda tem uma menina de 9 anos, olhando pra você, a Fernanda de quase 60 que não tinha a menor ideia do que enfrentaria no ano 2017/18. Ano em que voltei lá, mexi no passado, fui buscar minha herança! Cada um sabe a verdade que carrega! Eu sigo! Eu continuo de pé… Eu descanso, mas não desisto! De surpresas da vida, estou escaldada! Posso adiar os sonhos! Posso precisar de mais paciência! Mas pretendo cumprir o que me propus a fazer: ter coragem! Gente mentirosa e covarde segue por pouco tempo em paz, gente que olha no olho, segue. Esse é o som da minha vida! Ele veio de um banheiro simples, mas chegou a lugares altos diante do trono de Deus! Amém! Era exatamente onde deveria chegar! Agradeço a todos! Essa foto traduz a indicação ao Grammy, mas aquele olhar traduz o que eu passaria! Estou viva! Amém….🙏🏻🙏🏻🙏🏻🙏🏻

Uma publicação compartilhada por Fernanda Brum (@brumfernanda) em

Fernanda Brum também está enfrentando uma doença bastante incômoda, a Síndrome de Burnout, que a fez, inclusive, dar uma pausa nos shows dias atrás após sofrer complicações e ter que ser internada. Ela segue respondendobem ao tratamento, à base de descanso e terapia.

Tadeu Ribeiro
[email protected]