Conecte-se conosco

Gospel

Flordelis voltou de visita em presídio com dinheiro nas partes íntimas, diz policial

Publicado

em

Flordelis - Foto: Reprodução

A ex-deputada federal e pastora evangélica Flordelis dos Santos de Souza voltou de uma visita na penitenciária Talavera Bruce, no Rio de Janeiro, com dinheiro nas partes íntimas e números de telefones de advogados escritos por dentro da calça.

A informação veio da policial penal Fabiana Borges Ribeiro, em um inquérito que apura se Flordelis sofre extorsão e ameaças na cadeia.

Diante disso, a Secretaria de Administração Penitenciária do Rio (Seap) abriu um processo interno para apurar os motivos que levaram Flordelis a retornar com R$ 72 em espécie escondidos em roupas íntimas. O caso aconteceu no início do mês de outubro.

A informação foi registrada em depoimento de uma policial penal na 34ª DP (Bangu), na última quinta-feira (27/10). De acordo com a agente penitenciária, Flordelis foi flagrada por uma câmera tentando tirar algo da calça.

A ex-deputada federal foi revistada e assumiu ter entrado com o dinheiro, além dos números de contato da sua defesa. A policial é apontada por Flordelis como uma das responsáveis por “constrangimentos” sofridos na prisão.

Fabiana relata que Flordelis retornava da visita, no dia 4 do mês passado, quando foi flagrada dentro do compartimento do scanner corporal, em uma câmera que existe no local, tentando retirar algo da calça.

Ela afirma que imediatamente a ex-deputada foi levada para outro setor. Em seguida, Fabiana e outra colega começaram a conversar com Flordelis, que espontaneamente retirou das partes íntimas R$ 72 em espécie.

Ao jornal O DIA, a defesa da ex-cantora gospel justificou que ela tem problemas de memória e, por isso, foi pedido que ela anotasse os números dos advogados.

“Eu mesmo mandei ela ter sempre anotado o meu telefone para caso acontecesse alguma coisa, para quando ela fosse extorquida, para quando ela tivesse que assinar alguma coisa, sempre me ligar antes para a gente mandar um advogado lá para ser acompanhada. Várias vezes ela foi ouvida e perguntaram quem é o advogado, como se não soubessem”, contou a defesa.

!É lamentável que uma pessoa presa tenha tido sua integridade física e psicológica violada, principalmente por se tratar de alguém sob a custódia do Estado. Isso demonstra toda a perversidade deste processo. A desumanização que fizeram com ela desde o início. Um caso triste que afronta os direitos humanos e as garantias fundamentais de Flordelis”, disse Rodrigo Faucz, um dos advogados da ex-deputada.

TELEFONE NA PRISÃO

A ex-parlamentar já foi punida em outro procedimento, após um telefone celular ter sido encontrado em sua cela na cadeia, em maio deste ano. Na ocasião, Flordelis admitiu que usou o aparelho para conversar com o namorado. Na notícia-crime encaminhada à polícia, a pastora afirma que os episódios de extorsão e ameaças tiveram início depois desse episódio.







+ Acessadas da Semana

Você não pode copiar o conteúdo desta página