in

Igreja Batista da Lagoinha é alvo de protestos contra a homofobia em BH

A Igreja Batista da Lagoinha foi alvo de protestos de manifestantes LGBT+, após as recentes polêmicas envolvendo falas e opiniões da família Valadão sobre os gays.

Publicidade

O ato aconteceu neste domingo (20), na porta do templo principal, que fica localizado no bairro Concórdia, região Nordeste de Belo Horizonte (MG).

“O nosso principal objetivo era tocar em dois aspectos muito específicos: a Ana Paula [Valadão], devido à questão do HIV como uma doença específica de homossexuais, algo que a própria OMS já contesta. E o [André] Valadão, que fez uma fala homofóbica e inconstitucional, já que proibir qualquer pessoa de entrar em uma instituição religiosa por questão de identidade de gênero é ilegal”, explicou Thiago Santos, um dos líderes do movimento.

Uma pastora que se identificou como Márcia apareceu na porta da igreja, onde o protesto acontecia, e disse, chorando, que os líderes da Igreja Batista da Lagoinha amam todas as pessoas, sem distinção, e afirmou que esses protestos físicos e virtuais estão fazendo a Família Valadão sofrer bastante. Segundo reportagem do jornal O Tempo, ela não pediu desculpas em nome da igreja, no entanto.

Nas últimas semanas, falas de Ana Paula Valadão, que associou os gays à AIDS, e de André Valadão, que sugeriu que a igreja evangélica não é para o público gay, deram o que falar. Eles figuraram entre os assuntos mais comentados da internet, e geraram um debate sobre preconceito e discurso de ódio.

PUBLICIDADE

Ana Paula Valadão, inclusive, foi acionada judicialmente por entidades LGBT+, que se sentiram violadas com a fala da cantora gospel.

A Igreja Batista da Lagoinha informou na semana passada, por meio de nota, que sua marca “é ser bíblica e ter como maior referencial a pessoa de Jesus Cristo, que recebia todas as pessoas sem distinção”.

E continuou, adotando um tom ameno e de receptividade: “Vemos isso por meio de sua trajetória registrada nos evangelhos, por isso, Ele é o nosso maior exemplo! Como Jesus nos ensina, nossas portas estão abertas para que todas as pessoas participem de nossos cultos de pregação das Sagradas Escrituras”, alertou.

Publicidade

Justiça determina tornozeleira eletrônica para Flordelis, que se diz perseguida

Pastor pede perdão após agredir esposa sem saber que estava ao vivo