in

Igreja que processou Netflix por especial de natal fica devendo 82 mil à justiça

O pastor líder da Igreja Templo Planeta do Senhor, em São Paulo, não se deu muito bem no processo que moveu contra a Netflix e a produtora Porta dos Fundos, por conta do especial de natal “A primeira tentação de Cristo”, lançado no fim de 2019 na plataforma de streaming.

Publicidade

O pastor, que também é o advogado da causa, pediu nada menos que R$ 1 bilhão de reais em indenização, por se sentir ofendido com a produção. As informações são da Veja.

O problema é que uma causa de valor tão alto reflete diretamente nos custos do processo, principalmente porque a juíza do caso negou o pedido de justiça gratuita da igreja, e determinou o pagamento de R$ 82 mil reais de taxas e custas.

A igreja recorreu da decisão para o Tribunal de Justiça de São Paulo (TJSP), que nem chegou a apreciá-lo, pois as custas para recorrer também não foram pagas pela igreja.

PUBLICIDADE

Com medo de perder o processo no final e ter que pagar, além desses valores, honorários de sucumbência (que podem chegar a 10% do valor da causa), a igreja decidiu desistir do processo, antes mesmo que a Netflix e o Porta dos Fundos pudesse ser notificado para se defender.

Ou seja, a igreja não conseguiu o que queria e ainda faturou uma dívida com o Estado no valor de R$ 82 mil reais.

Publicidade

World Camp 2020 quer reunir 5 mil jovens cristãos essa semana

Noiva expõe machismo da Igreja Adventista e repercute nas redes sociais