Emaús, onde Jesus Cristo apareceu após ressuscitar, é encontrada em Israel

Arqueólogos anunciaram que podem ter descoberto a cidade de Emaús, onde Jesus Cristo apareceu pela primeira vez após sua ressurreição.

Arqueólogos encontram muralhas que podem ser de Emaús.
Arqueólogos encontram muralhas que podem ser de Emaús.

Foram achadas enormes muralhas de uma fortificação helenística de 2.200 anos de idade, que pode ter sido construída pelo general que derrotou Judá, e que foi um famoso líder judeu no centro da história do Hanukkah. 

Desde 2017, uma expedição franco-israelense está cavando em Kiriath Yearim, uma colina com vista para Jerusalém, a poucos quilômetros a oeste da cidade, ao lado da cidade de Abu Ghosh. O local é conhecido principalmente por ser o local onde a Arca da Aliança foi mantida por 20 anos antes de ser levada a Jerusalém pelo Rei Davi, segundo a Bíblia.

Dado que não existem outras fortalezas helenísticas conhecidas a oeste de Jerusalém, os escavadores sugerem que a colina de Kiriath Yearim e a cidade adjacente de Abu Ghosh sejam identificadas como Emaús, que foi fortificado por Bacquides.

Certamente seria uma enorme conquista para os cristãos, dado o papel enorme na história bíblica, já que, segundo os Evangelhos, foi no caminho de Emaús que Jesus Cristo apareceu pela primeira vez a dois de seus discípulos após sua crucificação e ressurreição. 

Na história contada em Lucas 24:13-35, os dois seguidores não reconheceram Jesus imediatamente, mas uma vez que alcançaram Emaús e partiram o pão com ele durante o jantar, “seus olhos se abriram e O conheciam”.

O evangelho de Lucas diz ainda que a vila de Emaús ficava a 60 estádios de Jerusalém, uma medida que se traduz bem nos 11 quilômetros (7 milhas) que separam a cidade da colina de Kiriath Yearim e Abu Ghosh.

Os arqueólogos lembram, no entanto, que para se determinar com precisão se o lugar corresponde mesmo à Emaús, serão necessários estudos adicionais, que comprovem a correlação. As informações são do Haarz.