Conecte-se conosco

Polêmicas

Jornalista acusa André Valadão de manter caso amorosos com homens

Publicado

em

Cantor e pastor André Valadão - Foto: Reprodução

A jornalista Patrícia Lélis está acusando o pastor André Valadão de manter casos amorosos com homens. Lélis, que recentemente acusou Marco Feliciano de estupro, fez uma publicação no Twitter sobre o líder da IBL, surpreendendo seus seguidores sobre.

Segundo a jornalista, André Valadão é gay. Ela disse ainda que o pastor usa seu poder dentro da instituição religiosa, uma das mais respeitadas do Brasil, para silenciar e coagir as pessoas que, supostamente, sabem da sua orientação homoafetiva.

“Andre Valadão, eu queria te perguntar quando é que vamos falar sobre todas as pessoas que você ameaçava e silenciava, quando expunham seus casos homoafetivos? O que não falta é histórias em BH com isso, né?! Sua irmã homofóbica, a Ana Paula deve ficar desesperada”, comentou a jornalista através do Twitter.

Ainda na publicação, ela questiona os trejeitos do pastor: “Aí na boa, quem nunca percebeu a pinta do cara, pode desistir da vida. Mas ainda bem que ele não é assumido, nossos queridos gays não merecem isso”, finalizou ela.

Após a postagem, que aconteceu na noite desta segunda-feira (10/10), justamente no dia em que o líder da Igreja Batista da Lagoinha se encontrou com Jair Bolsonaro, o nome do pastor foi parar nos assuntos mais comentados do Twitter.

André ainda não comentou sobre as graves acusações, mas muitos internautas declararam que Lélis está mentindo, e lembraram que ela chegou a ser processada por Marco Feliciano por falsas acusações. Além disso, a denúncia acontece em um momento em que o cantor gospel intensifica seu apoio ao chefe do executivo, o que tem incomodado a esquerda.

Patrícia, inclusive, chegou a ser indiciada pela Polícia Civil de São Paulo por denunciação caluniosa e extorsão depois de acusar o chefe de gabinete de Feliciano, Talma Bauer, de tê-la sequestrado, mantido em cárcere privado e a ameaçado.

Ainda em agosto de 2016, a Polícia Civil de São Paulo informou que tinha um laudo de uma psicóloga que revelava que Patrícia era “mitomaníaca”, ou seja, tem transtorno de personalidade que faz com que minta compulsivamente.

+ Acessadas da Semana

Você não pode copiar o conteúdo desta página