Após divórcio, Lauriete pede a cabeça de Magno Malta ao partido e deve ser nova líder

O ex-senador Magno Malta e a cantora gospel Lauriete estão em processo de divórcio. Conforme revelou a imprensa local, os dois não estão mais juntos como “símbolos da família tradicional brasileira” há alguns meses.

Cantora gospel Lauriete e Magno Malta estão se divorciando.
Cantora gospel Lauriete e Magno Malta estão se divorciando.

De início, Magno Malta tentou abafar os rumores da separação, mas acabou sendo desmentido pela própria Lauriete, que confirmou o término da relação. Desde então, o ex-senador manteve-se em silêncio sobre o assunto.

Finda a parceira no amor, a questão agora gira em torno dos negócios. Lauriete é deputada federal pelo PR do Espírito Santo. Magno Malta é um dos dirigentes do partido no estado, mas não conseguiu se reeleger como senador nas eleições do ano passado.

Segundo o Século Diário, jornal local do ES, a cantora gospel Lauriete teria pedido a cabeça de seu ex-marido, em troca de fidelidade ao partido.

Ela própria confirmou que vem sendo sondada por outras legendas, mas que deve se manter na sigla atual: “Há uma movimentação política já visando as próximas eleições e fui interpelada por alguns partidos, mas me mantenho fiel ao PR”.

Tanto Lauriete como Magno Malta devem abrir uma disputa, segundo a mídia local, para ver quem comandará o partido no estado futuramente. Lauriete tem boas chances pelo fato de possuir mandato, o que lhe confere popularidade e prestígio político.

Magno Malta, que não só está sem mandato, mas também sem influência sobre o governo de Bolsonaro, sinalizou a outras figuras do PR que deve deixar a sigla em breve.

O vereador de Vila Velha, Heliossandro Mattos, se diz “entre a cruz e a espada”, sobre escolher entre Lauriete e Magno Malta. E garante que o ex-senador lhe confidenciou que irá sair o partido.

Enquanto um novo capítulo dessa história não é aberto, Malta segue fazendo caravanas pelo interior do Espírito Santo, agora que tem tempo livre de sobra. A meta são as eleições municipais de 2020, mas também garantir que não saia humilhado, mais uma vez, politicamente.