Conecte-se conosco

Mais Conteúdo

Líder da Igreja Ortodoxa na Ucrânia compara Putin ao anticristo

Publicado

em

O chefe da Igreja Ortodoxa Ucraniana Epifânio Metropolita, à esquerda, e o presidente da Rússica Vladimir Putin, à direita - Foto: Reprodução/Redes Sociais

O Metropolita Epifânio I da Ucrânia, líder da Igreja Cristã Ortodoxa independente com sede em Kiev, celebrou a defesa ucraniana de seu país contra invasores russos no último domingo. Além disso, comparou o presidente russo Vladimir Putin ao anticristo. A informação é do Religion News.

“O espírito do anticristo opera no líder da Rússia, cujos sinais as Escrituras nos revelam: orgulho, devoção ao mal, crueldade, falsa religiosidade”, disse ele. “Este foi H.itler durante a Segunda Guerra Mundial. Isso é o que Putin se tornou hoje”, disse o religioso.

Epifânio elogiou “pessoas heróicas” que estão “se defendendo do ataque da Rússia”: “Cada hora de nossa resistência inspira mais e mais pessoas ao redor do mundo a apoiar a Ucrânia”, disse.

As declarações de Epifânio refletem uma ruptura dentro do cristianismo ortodoxo que começou em 2018, quando muitos cristãos ortodoxos da Ucrânia declararam independência do Patriarcado Ortodoxo na Rússia, um movimento que os líderes ortodoxos russos rejeitaram.

Mas a Igreja Ortodoxa em Constantinopla, liderada pelo Patriarca Ecumênico Bartolomeu, reconheceu o corpo ucraniano, tornando a Ucrânia o lar de pelo menos duas organizações cristãs ortodoxas diferentes, uma baseada em Moscou e a outra em Kiev. Inclusive, no domingo, ridicularizou o chefe da Igreja Ortodoxa Russa.

A cisão complicou os interesses políticos russos na região, já que a Rússia fez parceria com a Igreja Ortodoxa Russa para ajudar a exercer poder no país e no exterior.

Patriarca Ortodoxo Russo Kirill na Catedral de Cristo Salvador em Moscou, em 2022 – Foto: Alexander Zemlianichenko

Segundo o Religion News, Epifânio argumentou no domingo que o ataque da Rússia à Ucrânia pode estar mudando a mente dos fiéis russos. Ele disse que, embora os esforços para alcançar a unidade da Igreja devam ser adiados até “após a vitória” contra a Rússia, existem, no entanto, “muitos hierarcas, padres e leigos do Patriarcado de Moscou que já estão se perguntando sobre seu futuro, que eles não associam com o desacreditado Patriarca Kirill”.

De sua parte, o patriarca ortodoxo russo Kirill, de Moscou, emitiu uma declaração muito diferente no domingo que parecia chamar os oponentes da Rússia na Ucrânia de “forças do mal”.

“Deus não permita que a atual situação política na Ucrânia tão próxima de nós tenha como objetivo fazer com que as forças do mal que sempre lutaram contra a unidade da Rússia e da Igreja Russa ganhem vantagem”, disse Kirill, segundo um comunicado.

Vale lembrar que o Patriarca Kirill, líder da igreja em Moscou e de toda a Rússia, visitou o Brasil entre os dias 19 e 21 de fevereiro de 2016. Foi a primeira visita de um líder da Igreja Ortodoxa Russa ao Brasil e à América Latina.

Naquela ocasião, Cirilo I foi recebido em Brasília pela então Presidenta Dilma Rousseff. No dia seguinte, no Rio de Janeiro, celebrou um culto no alto do morro do Corcovado.













+ Acessadas da Semana

Você não pode copiar o conteúdo desta página