Conecte-se conosco

Mais Conteúdo

Mãe que usou enxada para procurar filha em Petrópolis lamenta morte: “Deus levou”

Publicado

em

Filha de mãe que fazia buscas com enxada é encontrada morta

A mulher que procurou a filha com uma enxada nos escombros de um deslizamento em Petrópolis, na região serrana do Rio de Janeiro, desabafou após perder a filha na tragédia.

Gizelia Carminate Oliveira, de 36 anos, recebeu a confirmação da morte da filha, Maria Eduarda Carminate de Carvalho, de 17, na tarde desta quarta-feira (16/02).

A mãe, que mora em Juiz de Fora, na Zona da Mata de Minas Gerais, viajou para Petrópolis, após as fortes chuvas que atingiram a cidade na última terça-feira (15/02). A adolescente, chamada como Duda, morava no Morro da Oficina, um dos locais mais atingidos pela tempestade.

Em ato de desespero diante dos escombros, ela pegou uma enxada para remover a lama e tentar encontrar a filha. A ação emocionou todo o país. A confirmação da morte da menina, no entanto, veio horas depois.

“Minha filha era a coisa mais linda que tem no mundo. Te juro por deus. Uma princesa, 17 anos”, disse Gizelia, muito emocionada. “Deus me deu, Deus levou. Com meu coração despedaçado comunico o falecimento da minha filha”, completou.

Gizelia contou que Duda foi encontrada no sofá abraçada à madrinha, Tânia, e à neta dela, a bebezinha Helena, de 1 ano.

O número de mortos em Petrópolis após a tempestade chegou a 111 até as 18h10 desta quinta-feira (17/02). Dos 101 corpos que estão no Instituto Médico Legal (IML), 65 são de mulheres e 36 de homens. Desses, 13 são menores. Ao todo, 33 corpos foram identificados.













+ Acessadas da Semana

Você não pode copiar o conteúdo desta página