Malafaia diz que se Bolsonaro não mudar embaixada em Israel vai ficar muito ruim pra ele

O pastor Silas Malafaia, presidente da Assembleia de Deus Vitória em Cristo (ADVEC), disse ao jornal O Globo, que, caso o presidente eleito Jair Bolsonaro não cumpra com sua palavra de mudar a embaixada brasileira em Israel, de Tel Aviv para Jerusalém, irá se complicar com os evangélicos.

Silas Malafaia pressiona Jair Bolsonaro sobre mudança de embaixada em Israel
Silas Malafaia pressiona Jair Bolsonaro sobre mudança de embaixada em Israel

“Eu avalio que ele vai perder crédito para caramba, muito. Ninguém pediu para ele fazer nada, ninguém pôs faca na garganta. Então, agora é melhor ele cumprir, ou então vai ficar chato. Vai ficar muito ruim para ele com a comunidade evangélica. Ele vai perder muita coisa. São mais de 130 deputados evangélicos nesta nova legislatura. Ele tem que saber o que ele quer.”, disse o pastor Silas Malafaia.

Apenas os EUA e a Guatemala transferiram suas respectivas embaixadas para Jerusalém, contrariando uma norma da Organização das Nações Unidas (ONU), do qual o Brasil faz parte, de que as mudanças no país só poderão ser realizadas em comum acordo com os árabes.

No último sábado (29), Bolsonaro publicou um tweet, com um trecho de uma entrevista dada por ele no início do mês, em que afirmava estar “avaliando” a mudança da embaixada, por temer retaliações econômicas dos 22 países que constituem a liga árabe, e que já ameaçaram o governo brasileiro caso a mudança se concretize de fato.

Silas Malafaia disse que, além dessa alteração, Bolsonaro deveria se aliar às tecnologias desenvolvidas por Israel, que tem um programa de irrigação em pleno deserto. O pastor evangélico defende o uso dessas inovações no semiárido do Nordeste.

“Se Bolsonaro conseguir ajuda de Israel nessas áreas, vai ficar bonito. Se resolver a questão do Nordeste, ele vai tirar o pão da boca do PT.”, disse Malafaia.

A liga de nações árabe é um importante parceiro comercial do Brasil. Em 2017, o saldo das negociações brasileiras com o bloco foi positivo, em mais de 7 bilhões de dólares, enquanto que com Israel, houve déficit de 419 milhões de dólares.

Silas Malafaia, mesmo assim, disse que deve haver pressão política para controlar essa situação: “O jogo é pressionar. Aí vem a Liga das Nações Árabes [se manifestar], mas é o jogo político. Eu acho que um presidente tem que ser macho nas suas convicções e não ficar preocupado com opinião de A ou B. Tem que ir pelo que é justo, e o justo é Israel ter sua capital em Jerusalém.”, acredita.

Parte dos evangélicos, como Silas Malafaia, defendem que Jerusalém deve estar sob controle dos judeus, para que Jesus Cristo possa voltar à terra, e por isso defendem a mudança da embaixada brasileira, para dar mais apoio à dominação judia sob os muçulmanos na região.

Tadeu Ribeiro
[email protected]