Márcia Fellipe é alvo de boicote após comentário sobre Irmã Dulce

A cantora de forró Márcia Fellipe tomou os holofotes recentemente, após fazer um comentário sobre a canonização de Irmã Dulce, a primeira santa brasileira para a Igreja Católica.

Cantora Márcia Fellipe.
Cantora Márcia Fellipe.

Embora seja evangélica, Márcia Fellipe ostenta uma vida não tão tradicional na fé, já que mantém uma carreira no mercado secular, e canta nas principais festas do país, inclusive as de cunho católico, como o São João.

“Ajudar o próximo, sim! Mas [isso] não faz nenhum ser humano ser ‘santo’. Santo só o senhor Jesus Cristo. Não se deixem enganar (leiam a Bíblia). ‘E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará’. João 8:32”, publicou ela neste fim de semana.

Após a repercussão negativa, Márcia Fellipe chegou a pedir desculpas publicamente pelos comentários, mas a polêmica já estava instalada, e ela foi acusada de intolerância religiosa, além de incoerência, por se apresentar em festas dedicadas a santos católicos.

“Eu peço aqui desculpa. Não falei sobre religião. Falei sobre o que a palavra nos diz. Muita coisa que a gente vê acontecendo no meio do mundo, ela é feita pelo homem. Assim, tem gente distorcendo que eu tenho intolerância a religião, em nenhum momento”, desculpou-se.

O público, no entanto, não digeriu muito bem o ocorrido, e já está fazendo campanhas de boicote contra a cantora.

Seguidores já estão fazendo campanhas para que a presença confirmada dela na Festa da Luz, tradicional evento que celebra a padroeira da cidade de Guarabira, no brejo da Paraíba, seja cancelada.

“Como podem colocar uma cantora que não acredita em santo, odeia o catolicismo, para cantar na festa da padroeira? Márcia Fellipe não é bem vinda!”, disparou um internauta, que ganhou o apoio dos demais.

A organização da Festa da Luz, no entanto, não se pronunciou até o momento sobre o assunto.