Câmara gasta 157 mil reais com tratamento dentário de Marco Feliciano

Marco Feliciano, pastor evangélico e deputado federal (PODE-SP), está no centro de uma polêmica, após o jornal O Estado de S. Paulo publicar nesse fim de semana que a Câmara dos Deputados reembolsou 157 mil reais para o parlamentar evangélico, por conta de um tratamento dentário feito por ele.

Sorriso de Marco Feliciano custa 157 mil reais à Câmara dos Deputados.
Sorriso de Marco Feliciano custa 157 mil reais à Câmara dos Deputados.

O deputado havia pedido o reembolso em abril deste ano, mas o setor de perícia da Câmara dos Deputados acabou rejeitando o pleito. Na avaliação da equipe técnica, havia uma incompatibilidade entre os valores apresentados e os preestabelecidos pela Casa, além de problemas na descrição de parte dos procedimentos.

Após a negativa e com um laudo de seu dentista, Marco Feliciano recorreu da decisão. A Mesa Diretora, formada por sete parlamentares, acabou aprovando o gasto posteriormente.

Ao jornal, o deputado-pastor afirmou que o procedimento serviu para tratar de bruxismo, e que precisava manter a boca em dia pois seria sua ferramenta de trabalho.

“Não desejo para ninguém”, afirmou. “Sou político e pregador. Minha boca é minha ferramenta.”, contou.

Marco Feliciano disse ainda que não enxerga conduta criminosa em sua atitude, e concorda que o valor do procedimento realmente foi caro.

“É um tratamento caro, mas foi para saúde, e não para estética. Foi para poder trabalhar. Como sou empregado, e onde trabalho há esta alternativa, eu precisava do tratamento”, afirmou. “Não há crime.”

O cirurgião-dentista Max Barbosa, responsável pelo procedimento, afirmou ao jornal que não considerava o valor cobrado abusivo.

“Dentro do padrão e do equipamento que a gente usa, com os profissionais que eu tive que trazer e o tempo reduzido para resolver o problema, acho que não (foi caro)”, disse. “Eu considero bem razoável (o preço), apesar de saber que nem todo brasileiro faria.”

Outros dentistas ouvidos pela reportagem afirmaram que o valor cobrado foi alto, pois o procedimento não necessitaria de cirurgia, mas esclareceram que todo dentista tem liberdade para cobrar o preço que achar justo.