Michelle Bolsonaro abre o jogo sobre sua fé evangélica e se emociona

Michelle Bolsonaro, futura primeira-dama da República a partir de janeiro, é evangélica. Além disso, participa de um ministério assistencial para surdos em sua igreja. Ela concedeu uma entrevista exclusiva para o programa “Sempre Feliz”, da Rede Super, apresentado por Márcia Fernandes.

Michele Bolsonaro se emociona ao falar da facada que seu marido, Jair Bolsonaro, sofreu durante a campanha.
Michelle Bolsonaro se emociona ao falar da facada que seu marido, Jair Bolsonaro, sofreu durante a campanha.

A esposa do presidente eleito disse que aceitou Jesus por curiosidade, na Primeira Igreja Batista de Ceilândia. E que se apaixonou pelo grupo de louvor da denominação. Mas logo depois acabou saindo da religião, voltando tempos a frente: “Eu tinha certeza que retornaria aos pés do Senhor. Deus tinha um propósito pra minha vida”, acredita.

Ao chegar ao Rio de Janeiro 11 anos atrás, Michelle Bolsonaro conta que acabou enfrentando uma depressão, e isso a aproximou da Igreja Universal, do bispo Macedo, ficando lá por 2 meses. Em seguida, acabou encontrando alento na Assembleia de Deus Vitória em Cristo (ADVEC), do pastor Silas Malafaia: “Foram igrejas diferentes, mas que em cada momento ‘fizeram a diferença’ em minha vida, conforme a necessidade que eu estava passando”, lembra.

Hoje em dia, Michelle Bolsonaro congrega na Igreja Batista Atitude, e declara estar muito bem lá, sentindo-se amada pelo pastor e pela igreja.

A futura primeira-dama revelou que essa vivência nas ações assistenciais religiosas a ajudaram a perceber que esse era o seu chamado, e disse que irá lutar pelas pessoas portadoras de necessidades especiais, além de ter um olhar mais humano para as populações carentes do sertão nordestino, que vivem em extrema pobreza.

“Cresci vendo minha mãe sonhando em fazer algo por eles. Ela sempre me ensinou que não se nega água e alimento pra ninguém”, afirmou.

Michelle Bolsonaro lembrou ainda que, no início da campanha eleitoral, ano passado, ela teve uma conversa com Deus, onde pediu que Ele desse sabedoria necessária para que, tanto ela quanto seu marido, conseguissem fazer a diferença: “Eu disse: se o Senhor permitir que o meu marido comande essa nação, eu quero fazer a diferença, porque essas são as palavras dele (Bolsonaro) também. Se não for pra fazer a diferença, que o Senhor não permita”, pediu.

Assista abaixo a entrevista na íntegra:

Tadeu Ribeiro
[email protected]