Conecte-se conosco

Minas Gerais

Nikolas Ferreira aciona MP para proibir entrada de menores em loja de crepes La Putaria

Publicado

em

Vereador quer que loja de crepes La Putaria proíba entrada de menores - Foto: Reprodução

O vereador de Belo Horizonte Nikolas Ferreira (PRTB), o segundo mais votado nas eleições de 2020, tem criticado uma loja de crepes que vende waffles em formatos sexuais, isso porque o estabelecimento tem permitido a entrada de menores no local.

A ‘La Putaria’ foi inaugurada no final de janeiro na Savassi, um bairro nobre de Belo Horizonte. A inauguração da unidade levou uma multidão de curiosos a formar fila em frente ao local a fim de experimentar a sobremesa.

Os waffles oferecidos têm tamanho único e o preço varia entre R$ 21 e R$ 25. São diversas opções de combinações de coberturas, entre elas chocolate, Nutella, doce de leite, banana e morango. Combinando com a proposta provocativa, os “piroffles” e “xoxoffles” têm nomes como “Grindr date”, “Tinder date”, “Contatinho” e “Crush”.

CRÍTICAS DO VEREADOR

Nikolas Ferreira, que tem 25 anos, criticou a loja por permitir a entrada de crianças no local. Para ele, o problema é a loja vender crepes em formatos sexuais, de vagin* e pênis, sem restringir a entrada de menores de idade no estabelecimento.

Ferreira diz não ser contra a abertura do comércio inusitado, mas sim, permitir que crianças entrem no local e consumam o crepe.

“Deixo bem claro que, eu não quero fechar estabelecimento nenhum. Cada um gasta o seu dinheiro com a idiotice que quiser. Você é livre, inclusive pra ser idiota. A minha questão é que crianças estão visitando esse local, e inclusive, os donos têm conhecimento disso, porque estão postando em suas redes sociais”, disse Nikolas.

Segundo o vereador, no dia da inauguração alguns pais levaram seus filhos menores de idade para saborear os doces, e de acordo com ele, fere o ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente).

“Isso fere o Estatuto da Criança e do Adolescente que eles amam tanto dizer. Isso inclusive expõe a criança a algo vexatório, que é de comer um doce em formato de um órgão sexual masculino. E não é somente dever da família atentar a proteção das crianças e dos adolescentes, a sociedade também pode”, afirmou ele.

O parlamentar afirmou que recebeu vários pedidos de pais indignados com a situação. Diante disso, encaminhou um ofício ao Ministério Público (MPMG) para que o estabelecimento cumpra alguns critérios.

“Sendo assim, com todo embasamento jurídico e legal, nós encaminhamos uma representação ao Ministério Público, um ofício externo da defensoria especializada em crianças para requerer uma ação imediata frente ao estabelecimento La Putaria que permitiu com que crianças entrassem no local e consumissem seus produtos obscenos”, disse Nikolas mencionando que um dos critérios que devem ser seguidos pela loja é, por exemplo, ter uma indicação classificativa.

ALERTA AOS CRISTÃOS

O vereador, que é cristãos e conservador, finalizou o assunto direcionando a palavra aos cristãos. Segundo ele, uma loja desse tipo, não trabalha apenas para vender e ganhar dinheiro, mas querer “normalizar” esse tipo de estabelecimento para toda a sociedade. Portanto, alegou ser contra a abertura de lojas assim.

“Meu posicionamento como cristão, e para você que é cristão, que acredita na mesma fé que eu, nos mesmos princípios e valores, eu obviamente, discordo plenamente disso. Porque eu sei que não é somente a questão de vender, poder ganhar dinheiro. Isso aqui trabalha na mente, na cultura, para poder transformar algo que é uma permissão sexual, e que tem o intuito de ir colocando essas coisas normalizadas, para toda uma sociedade”, afirmou ele.

“Eles têm estratégia, pode ter certeza que por trás desse empreendimento, tem uma cabeça que não tá voltada para ganhar dinheiro não. É uma questão ideológica”, finalizou Nikolas Ferreira.













+ Acessadas da Semana

Você não pode copiar o conteúdo desta página