Conecte-se conosco

Política

Papa Francisco diz que julgamento que levou Lula à prisão ‘começou com fake news’

Publicado

em

Lula em visita ao papa Francisco, em fevereiro de 2020 - Foto: Divulgação

O papa Francisco afirmou que o processo que condenou o presidente eleito, Luiz Inácio Lula da Silva (PT), no âmbito da Lava-Jato, e que foi posteriormente anulado pelo STF, “começou com notícias falsas na mídia” que “criaram uma atmosfera que favoreceu a colocação de Lula em um julgamento”.

A declaração ocorreu em entrevista ao jornal espanhol ABC, publicada neste domingo (18/12). O pontífice afirmou também que notícias falsas sobre líderes políticos são gravíssimas. “Eles podem destruir uma pessoa”, disse.

Papa Francisco foi questionado sobre o caso do petista, eleito presidente nas eleições deste ano após ser preso por corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Ao jornal espanhol, o papa classificou o processo como “paradigmático” e alertou para a gravidade das fake news envolvendo líderes políticos e sociais: “podem destruir uma pessoa”.

“Um julgamento tem que ser o mais limpo possível, com tribunais que não têm outro interesse senão fazer justiça. Esse caso do Brasil é histórico”, disse o Papa.

Em abril de 2018, Lula foi preso pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro no caso do tríplex de Guarujá (SP). Após 580 dias preso na sede da Superintendência da Polícia Federal do Paraná, em Curitiba, Lula foi solto, em 2019.

Em 2021, o STF (Supremo Tribunal Federal) confirmou a decisão da Segunda Turma da corte de declarar a parcialidade do ex-juiz Sergio Moro na condução do processo que levou Lula à prisão.

Publicidade

+ Acessadas da Semana